sábado, 4 de agosto de 2012

NOVENA A SÃO MAXIMILIANO (Primeiro dia)

PERCORRA O CAMINHO DA SANTIDADE
 
“São Maximiliano... um mestre, alguém que nos indicou a estrada”
 

Aproximando-nos de São Maximiliano Kolbe descobrimos que o seu desejo constante de santidade tem uma característica bem precisa: ser sempre mais perfeitamente da Imaculada para ser sempre mais perfeitamente de Deus! Este é o segredo que o conduziu ao seu objetivo, “ser santo e grande santo”, abrindo sempre mais as asas da sua vida rumo a plenitude do amor a Deus e aos irmãos. Tornou-se assim um verdadeiro profeta da civilização do amor, particularmente eloquente para o nosso tempo.

ORAÇÃO INICIAL

Ó São Maximiliano, seguidor fidelíssimo do Pobrezinho de Assis, que inflamado de amor a Deus transcorreste a vida na prática assídua das virtudes heróicas e nas obras santas do apostolado, volta o teu olhar a nós, teus devotos, que confiamos na tua intercessão.
Tu que, irradiado da luz da Virgem Imaculada, atrais-te inúmeras pessoas aos ideais de santidade, chamando-as em diversas formas de apostolado para o triunfo do bem e da dilatação do Reino de Deus, obtenha a nós a luz e força para operar o bem e atrair muitas pessoas ao amor de Cristo.
Tu que, na perfeita conformidade ao divino Salvador, alcançaste alto grau de caridade para oferecer, em sublime sacrifício de amor, a tua vida para salvar a um irmão prisioneiro, suplique-nos do Senhor a graça que ardentemente te pedimos... (silêncio)
E, animados pelo mesmo ardor de caridade, possamos também nós com a fé e com obras testemunhar Cristo aos nossos irmãos, para alcançar contigo a beatificante possessão de Deus na luz da glória. Amém

NA ESCOLA DA PALAVRA

D. Estamos reunidos para agradecer ao Senhor e a Virgem Imaculada pelo dom da vida e da santidade de São Maximiliano Kolbe. Com ele queremos aprender a ser reflexo do amor de Deus para testemunhar aos homens de hoje a caridade e a verdade do Evangelho.

Evangelho de João 19,27:

“Perto da Cruz de Jesus, permaneciam de pé sua mãe, a irmã de sua mãe, Maria, mulher de Cleófas, e Maria Madalena. Jesus, então, vendo sua mãe e, perto dela, o discípulo a quem amava, disse à sua mãe:” Mulher, eis o teu filho!” Depois disse ao discípulo: “Eis a tua mãe!”.

“Oferece-te inteiramente a Ela, que é a nossa Mãezinha celeste, e desse modo podereis superar facilmente todas as dificuldades e te tornarás santo, um grande santo” (SK 21).

L. 1  A consagração a Nossa Senhora tem um sólido fundamento bíblico. Surge, de fato, do testamento de Cristo crucificado: “Mulher, eis aí teu filho! Filho, eis aí tua mãe!” (cf. Jo 19,26-27) e encontra confirmação em outros trechos do novo testamento. A referência à escritura é muito importante, porque nela encontramos a explícita vontade de Cristo, o qual associa Maria à obra da salvação atribuindo-lhe uma maternidade espiritual e universal.
Nós nos consagramos a Maria porque Cristo no-la deixou como mãe. A cada um de nós, Cristo, desde o batismo, repete: “Eis tua mãe”. Resta-nos somente cumprir o gesto do “discípulo amado”: “A recebeu em sua casa” (cf. Jo 19,27).

L.2 Das catequeses marianas do Papa João Paulo II:

Na Igreja nascente Maria é lembrada com o título de Mãe de Jesus. (...) Aos olhos dos discípulos, reunidos depois da ascensão, o título de Mãe de Jesus assume completamente o seu significado. Maria é para eles uma pessoa única em seu gênero: recebeu a graça singular de gerar o Salvador da humanidade, viveu por longo tempo próxima a Ele e no Calvário foi chamada pelo crucificado a exercer uma “nova maternidade” em relação ao discípulo predileto e, através dele, de toda a Igreja. (...) De modo particular, com este título os cristãos querem afirmar que não é possível referir-se à origem de Jesus, sem reconhecer o papel da mulher que o gerou no Espírito segundo a natureza humana. A sua função materna interessa também ao nascimento e desenvolvimento da Igreja. Recordando o lugar de Maria na vida de Jesus, os fiéis descobrem, todos os dias, a eficaz presença também no próprio itinerário espiritual.
João Paulo II – 13 de setembro de 1995

ORAÇÃO FINAL

Ó São Maximiliano, escuta esta oração de louvor e de súplica que te dirigimos com confiante devoção. Honramos a santidade da tua vida, guiada por intrépida fé no mistério de Cristo, sustentada por uma firme esperança na potência da sua graça, animada de ardente caridade a Deus e ao próximo.
Concede-nos poder viver constantemente em fiel correspondência à dignidade humana e cristã.
Exaltamos a tua atividade apostólica, na qual te empenhaste com fervoroso zelo para educar o povo de Deus na fé em Cristo Senhor, e na veneração à Imaculada, Rainha do mundo e Mãe da Igreja, para o advento do Reino de Cristo entre os homens.
Admiramos o sacrifício heróico com o qual ofereceste a tua vida espontaneamente para salvar a vida de um irmão.
Concede-nos crer firmemente que a fé em Cristo Senhor é a única vitória que vence o mal, e de podermos operar com a coragem dos mártires para o triunfo da justiça, da caridade e da paz. Amém.

Pai Nosso...
Ave Maria...
Glória...
São  Maximiliano Maria kolbe... Rogai por nós.
Salve Maria Imaculada.

Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém.