quinta-feira, 16 de agosto de 2012

À Virgem do sim

Virgem mãe,
cheia de graça, rainha da misericórdia,
vida doçura e esperança nossa!
Da plenitude do vosso amor
volvei o vosso olhar a nós,
que, neste vale de lágrimas,
de dores e de incertezas,
assistimos horrorizados ao erro
que avança com descarado delírio,
fazendo a cada instante vítimas e mais vítimas,
em todas as idades, ambientes e continentes.
É por isso que vos dirijo esta oração:
fazei que eu, na vossa hábil escola,
seja instrumento adequado
para ir ao encontro dos homens,
para que eles compreendam
a verdadeira finalidade da vida,
e encontrem o lugar certo
no plano da salvação.
É por isso que vos dirijo esta oração:
fazei que todos os cristãos
se identifiquem de tal forma
com os interesses de Deus e dos irmãos,
que não percam seu tempo em distrair-se
com mil pensamentos e coisas sem valor.
Fazei que eles saibam desenvolver
um frutuoso apostolado,
saibam ser vossas testemunhas fiéis:
orando, agindo, trabalhando
com toda a sabedoria,
e estendendo as mãos aos jovens
chamado por Cristo aos místicos esponsais.
De tal forma que a sua incerteza
se transforme eum sim
sincero e coerente,
doando o coração a Deus,
colocando na vossa as suas mãos,
e estendo por sua vez a sua outra mão
a todo o universo,
para formarem uma cadeia sem fim,
de amor profundo e universal.
É isto que vos peço, virgem Maria;
assim o mistério da anunciação
será operante nos séculos futuros,
dando esperança ao mundo inteiro
que, sabemo-lo, está podto na malignidade:
porque onde estais
está também a presença do vosso Filho.
E é por isso que me dirijo a vós,
pedindo-vos com a voz mais aflita:
confirmai na sua vocação
aqueles que Deus escolheu e consagrou,
destinando-os ao seu culto e ao seu serviço.
Por isso vos repito:
entrai com a ternura do vosso coração
e o poder da vossa justiça
em tanta moças e repazes,
e bradai como bradaste ao Padre Kolbe,
a Bernadete, a Lúcia, a Jacinta e a Francisco:
"As almas se perdem! O pecado as corrompe!
O mundo sofre nas almas e nos corpos!
Dai a  Deus a vossa juventude;
consagrai-lhes todas as faculdades;
deixai tudo aquilo que perece;
oferecei a Ele a vossa liberdade.
Seguindo as suas pegadas,
não temais renovar-vos cada dia,
tomar a cruz salvadora,
deixar bens, famílias, seguranças;
para doar, rezar, trabalhar,
pregar o amor
para que torne a brilhar a fé.
Para que torne a reinar a esperança,
para que a caridade traga a paz
aos povos e às nações.
Para que sejam recompostas
todas as divisões.
Para que com o respeito ao homem,
o homem respeite o Criador,
o homem redescubra o seu verdadeiro Salvador".
E assim formar uma só família,
a família dos felizes por toda a eternidade.
Amém.

Padre Faccenda - Fundador do Instituto