segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Feliz festa de Padre Kolbe


Caríssimas missionárias, missionários e voluntários,
do Brasil chegam até vocês os meus votos para a solenidade de São Maximiliano Kolbe.
Quero partilhar com vocês, o testemunho de um prisioneiro depois da oferta heróica e generosa de Padre Kolbe:

«Demo-nos conta de que alguém entre nós, naquela noite escura espiritual da alma elevara o padrão do amor até o cume mais alto. Alguém desconhecido, igual aos outros, torturado e despojado de nome e posição social foi para uma  morte horrível  por amor a um individuo que ao menos estava ligado a ele … Dizer que Padre Kolbe morreu por um de nós ou pela a família daquela  pessoa é uma simplificação grande de mais. A sua morte foi a salvação de milhares ... Foi um choque cheio de otimismo, que nos regenerou e deu força; ficamos aturdidos com seu ato que se tornou para nós uma fortíssima explosão de luz na noite escura do campo»¹.

Padre Kolbe à escola de Jesus aprendeu o verdadeiro amor para todos. O amor foi o que impulsionou cada ação. Todos os dias procurava  elevar o nível do amor, e em Auschwitz alcançou a medida mais alta.
Também o Padre tantas vezes nos convidou  a não abaixar a guarda sobre este fundamental valor evangélico:

«A caridade não è um conselho, é uma ordem. “Vos dou um mandamento novo: que vos ameis uns os outros como eu vos ameis”. Quando chegaremos a amarmo-nos uns aos outros como Jesus nos amou, doando-nos toda a sua vida, vindo a revestir-se da nossa carne, afrontando as humilhações e objeções da vida humana, até a morte e a morte de cruz? Não chegaremos nunca a esta perfeição, mas não devemos nunca cansar. Indicou-nos esta medida para dizer-nos: “Nunca parem, jamais coloquem limites, o vosso amor seja sempre mais profundo, sempre mais na frente, de descoberta em descoberta, como uma aventura que não termina se não no último respiro”»².

Eis “naquele elevar a medida do amor até o cume mais alto” parece-me ver a nascente daquela “novidade” que temos vislumbrado na VIII Assembleia geral e deve caracterizar a vida do Instituto neste novo sexênio como sugeri na Mensagem final  da Assembleia. 
Se nos comprometeremos todos os dias a elevar o nível do amor nas nossas comunidades, nos ambientes de trabalho ou de apostolado, melhorarão os nossos relacionamentos fraternos e também o nosso apostolado será mais fecundo. Também nós seremos capazes  de iluminar a obscura noite do momento histórico que estamos vivendo.

Este é o meu augúrio para vocês e para mim. Isto pedimos ao Senhor por intercessão da Virgem Imaculada e de São Maximiliano.

Desejando-lhes todo o bem.

Diretora Geral
Giovanna Venturi


¹ Massimiliano Kolbe, Patricia Treece, pag. 224-225
² OVS, XI pg. 206