quinta-feira, 30 de agosto de 2012


“Mestre, onde moras?
Venham ver; foram, viram permaneceram com Ele”
(Jo 1,35-39)
 
 
Através de uma experiência de Deus, passei a me perguntar? Meu Deus o que queres da minha vida?  Foi essa pergunta que me moveu por inteira e me fez ir em busca de sua vontade. Comecei a aproximar-me mais Dele, como nunca tinha feito antes, pois através dessa experiência me sentia amada, importante e muito preciosa aos seus olhos e de uma maneira muito especial sentia aumentar em mim cada vez mais a comunhão com Ele, através da oração e de tantos outros meios que me levavam a estar mais perto dele.
Mas, não estava totalmente completa, percebia que ele queria algo mais de mim, dentro de  mim era uma inquietude muito grande, senti que ele me chamava de uma forma especial para estar mais a seu lado, transmitir e testemunhar aquilo que eu estava sentindo para outras pessoas também. 
Mas não foi tão fácil assim aceitar a vontade de Deus, pois passava um turbilhão de coisas na minha cabeça. Tinha medo do que as pessoas iriam pensar de mim, como eu ia me abrir com alguém pra falar aquilo que eu estava sentindo, mas, mesmo assim bem lá no fundo sentia a sua voz a me chamar então coloquei- me a pensar naquela pergunta que ficou por certo tempo esquecida bem lá no fundo da memória: "O que queres de mim?". E a partir dessa lembrança senti que aquilo que eu estava sentindo era a resposta de Deus para a minha pergunta, e foi assim que tudo iniciou, eu me abri pra acolher a sua vontade, e  sem saber com quem falar, onde ir, o Espírito Santo foi me conduzindo e me encorajando até que um dia através de uma amiga eu tive a oportunidade de encontrar uma pessoa para me ajudar a perceber melhor aquilo que Deus  me chamava a realizar, pude assim então conhecer as Missionárias, tendo primeiramente um contato com a Edvanda, assim foi crescendo cada vez mais o vínculo com o Instituto  e o meu amor pelo carisma através de acompanhamentos por cartas, pelas suas visitas e assim Deus foi  me conduzindo.
Certo tempo da caminhada Edvanda  me propôs fazer uma experiência por um tempo pra conhecer um pouco a vida das Missionárias, para vivenciar de uma maneira bem de perto a vida consagrada e eu aceitei e no dia 30 de abril entrei na comunidade onde fui muito bem acolhida por todas as Missionárias, pude neste  tempo partilhar minha vida com elas, vivi uma bonita experiência de comunhão e tive a graça de viver lindos momentos onde pude crescer espiritualmente e humanamente, palavras são difíceis de explicar tudo que vivi neste tempo, foi uma grande alegria fazer parte desta missão e que foi ao mesmo tempo um desafio,  mas vi durante toda essa caminhada a presença de Deus me conduzindo me guiando e me mostrando onde e como encontrá-lo. Digo que valeu a pena tudo o que vivi!!!
E como São Maximiliano disse: “Quando se ascende em nós a chama do amor ela não pode se conter dentro de nós...".

Raquel Soares – 23 anos

terça-feira, 28 de agosto de 2012



Ó eterna verdade e verdadeira caridade e cara eternidade!

Instigado a voltar a mim mesmo, entrei em meu íntimo, sob tua guia e o consegui, porque tu te fizeste meu auxílio (cf. Sl 29,11). Entrei e com certo olhar da alma, acima do olhar comum da alma, acima de minha mente, vi a luz imutável. Não era como a luz terena e evidente para todo ser humano. Diria muito pouco se afirmasse que era apenas uma luz muito, muito mais brilhante do que a comum, ou tão intensa que penetrava todas as coisas. Não era assim, mas outra coisa, inteiramente diferente de tudo isto. Também não estava acima de minha mente como óleo sobre a água nem como o céu sobre a terra, mas mais alta, porque ela me fez, e eu, mais baixo, porque feito por ela. Quem conhece a verdade, conhece esta luz.

Ó eterna verdade e verdadeira caridade e cara eternidade! Tu és o meu Deus, por ti suspiro dia e noite. Desde que te conheci, tu me elevaste para ver que quem eu via, era, e eu, que via, ainda não era. E reverberaste sobre a mesquinhez de minha pessoa, irradiando sobre mim com toda a força. E eu tremia de amor e de horror. Vi-me longe de ti, no país da dessemelhança, como que ouvindo tua voz lá do alto: “Eu sou o alimento dos grandes. Cresce e me comerás. Não me mudarás em ti como o alimento de teu corpo, mas tu te mudarás em mim”.

E eu procurava o meio de obter forças, para tornar-me idôneo a te degustar e não o encontrava até que abracei o mediador entre Deus e os homens, o homem Cristo Jesus (1Tm 2,5), que é Deus acima de tudo, bendito pelos séculos (Rm 9,5). Ele me chamava e dizia: Eu sou o caminho, a verdade e a vida (Jo 14,6). E o alimento que eu não era capaz de tomar se uniu à minha carne, pois o Verbo se fez carne (Jo 1,14), para dar à nossa infância o leite de tua sabedoria, pela qual tudo criaste.

Tarde te amei, ó beleza tão antiga e tão nova, tarde te amei! Eis que estavas dentro e eu, fora. E aí te procurava e lançava-me nada belo ante a beleza que tu criaste. Estavas comigo e eu não contigo. Seguravam-me longe de ti as coisas que não existiriam, se não existissem em ti. Chamaste, clamaste e rompeste minha surdez, brilhaste, resplandeceste e afugentaste minha cegueira. Exalaste perfume e respirei. Agora anelo por ti. Provei-te, e tenho fome e sede. Tocaste-me e ardi por tua paz.

Dos Livros das Confissões - de Santo Agostinho, bispo (Séc.V)

sábado, 18 de agosto de 2012

 
Mensagem aos consagrados e às consagradas do Brasil
 

Amados, amadas de Deus, Irmãos e Irmãs de Vida Consagrada,

Tenho Sede!
Nas Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora na Igreja no Brasil 2011 – 2015 encontramos o seguinte texto: “para uma Igreja comunidade de comunidades, é imprescindível o empenho por uma efetiva participação de todos nos destinos da comunidade, pela diversidade de carismas, serviços e ministérios. Para isso, faz-se necessário promover: (…) o carisma da vida consagrada, em suas dimensões apostólica e contemplativa, presente em fronteiras missionárias; inserida junto aos pobres; atuante no mundo da educação, da saúde, da ação social; orante em mosteiros e carmelos, comprometida a evangelizar por sua vida e missão” (DGAE 104,b).
Quando aprovamos este texto, lembramo-nos muito de vocês. E hoje, nós que fazemos a Comissão para os Ministérios Ordenados e a Vida Consagrada – PV-SAV, OSIB, CNP, CND, CRB, CNIS e SBE -, queremos unir-nos a vocês na comemoração do dia do consagrado e da consagrada, marcado na grade do mês vocacional, no dia 19 de agosto.
É nossa missão apoiar, promover, valorizar, cultivar, cuidar e animar os carismas e mistérios na Igreja, sobretudo os das pessoas de vida consagrada. A vida consagrada é comunhão, vista à luz da Santíssima Trindade. Comunhão em Deus é abertura e pericorese: o Pai está todo para o Filho; o Pai e o Filho estão todo para o Espírito Santo; e o Espírito, Senhor que dá a vida, procede do Pai e do Filho, e com o Pai e o Filho é adorado e glorificado: ele que falou pelos profetas. Esta abertura de uma pessoa divina a outra é o espelho da comunhão de vocês na vida consagrada. A confraternidade na vida consagrada é o espaço humano, habitado pela Santíssima Trindade. A vida consagrada é, portanto, um dos rastos concretos que a Trindade deixa na história para que os seres humanos possam sentir o encanto e a saudade da beleza divina.
Vocês, amados, amadas de Deus, fazem parte da melhor e da mais perfeita forma de rede de comunidades; e também pelos carismas, apostólicos e contemplativos, vocês vivem a plenitude e a absoluta pertença a Deus, na ação e na oração. Portanto, caros e caras, permitam-nos escolher entre tantos, com o perigo que comporta qualquer escolha, os dez sinais que, a nosso parecer, melhor se adaptam ao estilo de vida que vocês levam e que mais chamam a nossa atenção, nesta homenagem que fazemos a vocês:
01. Ficamos felizes por vocês nos ensinarem a viver a leveza das nossas pesadas e letárgicas instituições eclesiais. Ensinem-nos a aliviar os pesados fardos das nossas Igrejas.
02. Agradecemos a vocês apostarem no valor da profecia e na força do profetismo, hoje bastante escasseados, até a entrega da vida no martírio. Que o testemunho de vocês ajude a nossa Igreja a redescobrir o amor, a solidariedade, o serviço, a partilha e o dom da vida.
03. Somos gratos a vocês por viverem o dom da virgindade consagrada, através de corações indivisos, em meio a uma sociedade erotizada. Que vocês consigam quebrar as barreiras do erotismo, do egoísmo e do individualismo, tão presentes na sociedade atual, assumindo um novo e diferenciado modo de vida, pela prática da castidade para servir, mais de perto, ao Cristo Senhor, e testemunhar que somos cidadãos e cidadãs do infinito.
04. Bendizemos a Deus por nos revelar em vocês o rosto materno de Deus e da Igreja, no cuidado dos mais pequeninos, dos restos, dos sobrantes e dos últimos. Que todos vocês, consagrados e consagradas de vida apostólica, monástica ou contemplativa, e membros dos Institutos Seculares, assumem o compromisso de dedicar a vida ao serviço do Reino de Deus, servindo aos irmãos na prática da misericórdia e da solidariedade, na luta pela justiça e na vivência do amor fraterno.
05. Louvamos pelos votos públicos de pobreza, obediência e castidade, e pela visibilidade da vivência radical destes conselhos evangélicos. Que a vida e as suas ações pastorais façam transparecer, com um sorriso no canto da boca, o rosto materno de Deus, especialmente para com os pobres, excluídos e marginalizados da sociedade.
06. Agradecemos a vocês a mística de paixão pelo Reino, em tempos complexos. Vivemos num mundo agitado e superficial. E que, neste contexto, vocês, consagrados e consagradas, cultivem a oração interior através da leitura orante da Palavra de Deus.
07. Somos profundamente gratos a vocês pela compaixão para com os pobres e pelo alegre testemunho de que somente Deus basta para dar sentido à vida e preenchê-la de alegria e de significado. É esta paixão pelo Reino que permite a vocês ouvirem a voz de Deus, deixando-O falar em todos os recantos da existência.
08. Obrigado por vocês apostarem no discipulado missionário, indo além do mundo que nos rodeia, para além das fronteiras da fé. A missionariedade está escrita no coração mesmo de toda a forma de vida consagrada. Vocês de vida consagrada são missionárias por excelência. E, por isto, devem ajudar-nos a crescer na consciência e na cooperação missionárias. E que este estilo de vida deixe transparecer a presença e a pertença ao Deus vivo, mesmo que, muitas vezes, de formas silenciosas.
09. Louvamos e agradecemos os projetos comuns, parcerias, partilhas e socialização dos dons e dos bens, em vista da missão e da evangelização. Que vocês ajudem a Igreja a manter aceso o fogo e o ardor missionários. E que vocês cultivem, cada vez mais, o amor a Jesus, apaixonados por Ele, fortalecidos pelos sagrados alimentos da eucaristia e do Evangelho da vida.
10. Enfim, profundamente agradecidos por vocês serem o que são, independentemente do que vocês fazem. Agradecemos igualmente a vocês o dom da vida doada e consagrada, com os olhos fixos em Jesus Cristo. Que vocês nos ajudem a crer que nossa pátria é o céu e que, portanto, ninguém viva, aqui na terra, como se aqui tivesse morada permanente.
Que o Divino Espírito Santo, doador dos dons e carismas e mantenedor dos serviços e ministérios, continue soprando novos e fortes ventos para despertar e suscitar novas, boas e santas vocações à vida consagrada, para o bem da Igreja e da humanidade.
Deus abençoe a vocês todos e todas, derramando chuvas de vida e de graça e fecundando os jardins de suas existências.

“Amo a todos vocês no Cristo Jesus” (1Cor 16,24).
 Com minha bênção,
 Dom Pedro Brito Guimarães,
 Arcebispo de Palmas e
 Presidente da Comissão para os Ministérios Ordenados e a Vida Consagrada

quinta-feira, 16 de agosto de 2012



Os Insitutos Seculares
A escuta de Deus nos sulcos da história: a secularidade fala a consagração


É-me grato fazer chegar aos membros dos Institutos Seculares a presente Mensagem do Santo Padre, na ocasião do Congresso que se celebra em Assis e que está sendo organizado pela Conferencia Mundial dos Institutos Seculares com a finalidade de tratar sobre o tema A escuta de Deus nos sulcos da história: a secularidade fala a consagração.
Esta importante temática coloca o acento sobre a vossa identidade como consagrados que, vivendo no mundo na liberdade interior e na plenitude do amor, que derivam dos conselhos evangélicos, os reconhece como homens e mulheres capazes de um profundo olhar e do bom testemunhono interior da história. Nosso tempo ascende à vida e a fé, interrogando profundamente, embora ao mesmo tempo manifeste o mistério da nupcialidade de Deus. Na realidade, o Verbo que se fez carne celebra as núpcias de Deus com a humanidade de cada épocaracterísticos de Jesus, pobre, casto e obediente adquire uma típica e permanente “visibilidade” no meio do mundo (Cfr. Exorta. Ap. Vita Consecrata, 1). Sua santidade deseja assinalar três âmbitos sobre os que haverão de concentrar a atenção.
1. Em primeiro lugar, a doação de suas vidas como resposta a um encontro pessoal e vital com o amor de Deus. Vocês descobriram que Deus é o todo para si mesmo, decidiram dar todo a Deus, fazendo-o de maneira particular: permanecendo leigos entre os leigos, presbíteros entre presbíteros. Isto exige particular vigilância porque seus estilos de vida manifestam a riqueza, a beleza e a radicalidade dos conselhos evangélicos.ca. É o mistério de séculos em séculos escondido na mente do Criador do universo (Cfr. Ef. 3,9) e manifestado na Encarnação, projetado para sua realização futura, pois entrelaçado hoje, como força redentora e unificadora.
Inserido no interior da humanidade a caminho, inspirados pelo Espírito, podemos reconhecer os sinais discretos e às vezes escondidos que revelam a presença de Deus. Somente a graça e a força da graça, que os Dons do Espírito podem iluminar os caminhos, constantemente modificados nos acontecimentos humanos na orientação para a plenitude da vida em abundância.  Um dinamismo que representa, além da aparência, no verdadeiro sentido da história os designíos de Deus. A vocação de vocês é de está no mundo assumindo todos os cargos, os anseios, com um olhar humano que coincida sempre com o divino, donde brota um compromisso original, peculiar, fundamentado sobre a consciência de que Deus escreve sua história de salvação no trama dos acontecimentos de nossa história.
Neste sentido, a identidade de vocês afirma também um aspecto importante sua missão na Igreja: ajuda-la a realizar seu ser no mundo, a luz das palavras do Concilio Vaticano II:
“Nenhuma ambição terrena empurra a Igreja; ela somente busca isto: continuar, abaixo da luz do Espirito consolador, a mesma obra de Cristo, que veio ao mundo para dar testemunho da verdade, salvar, não condenar, servir, não ser servido (Const. Gaudium et Spes, 3). A teologia da história é parte essencial da nova evangelização, porque os homens de nosso tempo têm necessidade de reencontrar um olhar global sobre o mundo e sobre o tempo, um olhar verdadeiramente livre e pacifico (Cfr. Bento XVI, Homilia na Santa Missa para a  nova evangelização, 16 de outubro, 2011). O mesmo Concilio nos recorda que a relação entre a  Igreja e o mundo há de ser vivido como sinal da reciprocidade, evidente  que não é só da Igreja a doação ao mundo, contribuindo para fazer mais humana a família e os homens com suas histórias, também o mundo deve se doar a Igreja, de maneira tal  que ela possa compreendê-la melhor e viver melhor sua missão, (Cfr. Gaudium et Spes, 40-45).
Os trabalhos que vocês se dispõem a desenvolver se conserve logo no especifico da consagração secular, na busca de como a secularidade fala a consagração, de como em suas vidas os traços
2. Em segundo lugar, a vida espiritual. Ponto firme e irrenunciável, referência segura para nutrir aquele desejo de fazer-se unidade em Cristoque é força da existência total de todo cristão, mas ainda, de quem respondeu a um chamado radical o dom do sim. Medida da profundidade da vida espiritual de vocês não são as muitas atividades que exigem seus esforços, mas sim a capacidade de busca a Deus no coração, mesmo emcada acontecimento e dereconduzir para Cristo. É o “reunir” em Cristo todas as coisas como fala São Paulo (Cfr. Ef. 1,10). Somente em Cristo, Senhor da história, toda a história e todas as histórias encontram sentido e unidade.
Em oração, como, na escuta da Palavra de Deus se alimenta este anseio. Na celebração Eucarística vocês encontram a razão de fazer-se pão de Amor partido para os homens. Na contemplação, no olhar de fé iluminado pela graça, se enraíza o compromisso de compartilhar com cada homem e com cada mulher as inquietações profundas que os habitam, para construir esperança e confiança.
3. Em terceiro lugar, a formação, que não negligencia nenhuma idade estabelecida, porque o que se trata de viver a própria vida em plenitude educa-se na sapiência sempre consciente da criatura humana e da grandeza do Criador. Busquem conteúdos e modalidades de uma formação que lhes faça, leigos e presbíteros capazes de desejar-se interrogar pelas complexidades que atravessa o mundo de hoje, de permanecerem abertas as inquietações provenientes das relações com os irmãos que encontram em seus caminhos, de comprometer-se em discernimento da história e da luz da Palavra de Vida. Sejam disponíveis a construir com todos os que buscam a verdade projetos de bem comum, sem soluções preconcebidas e sem medo às perguntas que são sem respostas, e sempre prestes a colocar em risco a própria vida, com a certeza que o grão de trigo quando cai na terra, dá muito fruto (Cfr. Jo. 12,24). Sejam criativos, porque o Espirito constrói novidades; alimente olhares capazes de futuro e raízes sólidas em Cristo Senhor para poder comunicar também ao nosso tempo a experiência de amor que está na base da vida de todo homem. Estreitem caritativamente as feridas do mundo e da Igreja. Acima de tudo, viva uma vida coerente e plena, acolhedora e capaz de perdoar, por está fundada em Cristo Jesus, Palavra definitiva do Amor de Deus pelo homem.
Entretanto o sumo Pontífice lhe faz chegar estas reflexões, assegurando para o Congresso e Assembleia uma especial recordação na oração, invocando a intercessão da Bem Aventurada Virgem Maria, que viveu no mundo a perfeita consagração a Deus em Cristo. De todo coração ele envia a vocês e a todos os participantes as Bênçãos Apostólicas.  
Também me uno pessoalmente, com meus melhores desejos e aproveito esta circunstância para chegar a vocês com sentimentos de grande estima.

Card. Tarcisio  Bertone - SDB
Secretário de Estado de Sua Santidade

Vaticano, 18 de julho de 2012
À Virgem do sim

Virgem mãe,
cheia de graça, rainha da misericórdia,
vida doçura e esperança nossa!
Da plenitude do vosso amor
volvei o vosso olhar a nós,
que, neste vale de lágrimas,
de dores e de incertezas,
assistimos horrorizados ao erro
que avança com descarado delírio,
fazendo a cada instante vítimas e mais vítimas,
em todas as idades, ambientes e continentes.
É por isso que vos dirijo esta oração:
fazei que eu, na vossa hábil escola,
seja instrumento adequado
para ir ao encontro dos homens,
para que eles compreendam
a verdadeira finalidade da vida,
e encontrem o lugar certo
no plano da salvação.
É por isso que vos dirijo esta oração:
fazei que todos os cristãos
se identifiquem de tal forma
com os interesses de Deus e dos irmãos,
que não percam seu tempo em distrair-se
com mil pensamentos e coisas sem valor.
Fazei que eles saibam desenvolver
um frutuoso apostolado,
saibam ser vossas testemunhas fiéis:
orando, agindo, trabalhando
com toda a sabedoria,
e estendendo as mãos aos jovens
chamado por Cristo aos místicos esponsais.
De tal forma que a sua incerteza
se transforme eum sim
sincero e coerente,
doando o coração a Deus,
colocando na vossa as suas mãos,
e estendo por sua vez a sua outra mão
a todo o universo,
para formarem uma cadeia sem fim,
de amor profundo e universal.
É isto que vos peço, virgem Maria;
assim o mistério da anunciação
será operante nos séculos futuros,
dando esperança ao mundo inteiro
que, sabemo-lo, está podto na malignidade:
porque onde estais
está também a presença do vosso Filho.
E é por isso que me dirijo a vós,
pedindo-vos com a voz mais aflita:
confirmai na sua vocação
aqueles que Deus escolheu e consagrou,
destinando-os ao seu culto e ao seu serviço.
Por isso vos repito:
entrai com a ternura do vosso coração
e o poder da vossa justiça
em tanta moças e repazes,
e bradai como bradaste ao Padre Kolbe,
a Bernadete, a Lúcia, a Jacinta e a Francisco:
"As almas se perdem! O pecado as corrompe!
O mundo sofre nas almas e nos corpos!
Dai a  Deus a vossa juventude;
consagrai-lhes todas as faculdades;
deixai tudo aquilo que perece;
oferecei a Ele a vossa liberdade.
Seguindo as suas pegadas,
não temais renovar-vos cada dia,
tomar a cruz salvadora,
deixar bens, famílias, seguranças;
para doar, rezar, trabalhar,
pregar o amor
para que torne a brilhar a fé.
Para que torne a reinar a esperança,
para que a caridade traga a paz
aos povos e às nações.
Para que sejam recompostas
todas as divisões.
Para que com o respeito ao homem,
o homem respeite o Criador,
o homem redescubra o seu verdadeiro Salvador".
E assim formar uma só família,
a família dos felizes por toda a eternidade.
Amém.

Padre Faccenda - Fundador do Instituto

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Feliz festa de Padre Kolbe


Caríssimas missionárias, missionários e voluntários,
do Brasil chegam até vocês os meus votos para a solenidade de São Maximiliano Kolbe.
Quero partilhar com vocês, o testemunho de um prisioneiro depois da oferta heróica e generosa de Padre Kolbe:

«Demo-nos conta de que alguém entre nós, naquela noite escura espiritual da alma elevara o padrão do amor até o cume mais alto. Alguém desconhecido, igual aos outros, torturado e despojado de nome e posição social foi para uma  morte horrível  por amor a um individuo que ao menos estava ligado a ele … Dizer que Padre Kolbe morreu por um de nós ou pela a família daquela  pessoa é uma simplificação grande de mais. A sua morte foi a salvação de milhares ... Foi um choque cheio de otimismo, que nos regenerou e deu força; ficamos aturdidos com seu ato que se tornou para nós uma fortíssima explosão de luz na noite escura do campo»¹.

Padre Kolbe à escola de Jesus aprendeu o verdadeiro amor para todos. O amor foi o que impulsionou cada ação. Todos os dias procurava  elevar o nível do amor, e em Auschwitz alcançou a medida mais alta.
Também o Padre tantas vezes nos convidou  a não abaixar a guarda sobre este fundamental valor evangélico:

«A caridade não è um conselho, é uma ordem. “Vos dou um mandamento novo: que vos ameis uns os outros como eu vos ameis”. Quando chegaremos a amarmo-nos uns aos outros como Jesus nos amou, doando-nos toda a sua vida, vindo a revestir-se da nossa carne, afrontando as humilhações e objeções da vida humana, até a morte e a morte de cruz? Não chegaremos nunca a esta perfeição, mas não devemos nunca cansar. Indicou-nos esta medida para dizer-nos: “Nunca parem, jamais coloquem limites, o vosso amor seja sempre mais profundo, sempre mais na frente, de descoberta em descoberta, como uma aventura que não termina se não no último respiro”»².

Eis “naquele elevar a medida do amor até o cume mais alto” parece-me ver a nascente daquela “novidade” que temos vislumbrado na VIII Assembleia geral e deve caracterizar a vida do Instituto neste novo sexênio como sugeri na Mensagem final  da Assembleia. 
Se nos comprometeremos todos os dias a elevar o nível do amor nas nossas comunidades, nos ambientes de trabalho ou de apostolado, melhorarão os nossos relacionamentos fraternos e também o nosso apostolado será mais fecundo. Também nós seremos capazes  de iluminar a obscura noite do momento histórico que estamos vivendo.

Este é o meu augúrio para vocês e para mim. Isto pedimos ao Senhor por intercessão da Virgem Imaculada e de São Maximiliano.

Desejando-lhes todo o bem.

Diretora Geral
Giovanna Venturi


¹ Massimiliano Kolbe, Patricia Treece, pag. 224-225
² OVS, XI pg. 206
NOVENA A SÃO MAXIMILIANO (Nono dia)

PERCORRA O CAMINHO DA SANTIDADE

“São Maximiliano... um mestre, alguém que nos indicou a estrada”


Aproximando-nos de São Maximiliano Kolbe descobrimos que o seu desejo constante de santidade tem uma característica bem precisa: ser sempre mais perfeitamente da Imaculada para ser sempre mais perfeitamente de Deus! Este é o segredo que o conduziu ao seu objetivo, “ser santo e grande santo”, abrindo sempre mais as asas da sua vida rumo a plenitude do amor a Deus e aos irmãos. Tornou-se assim um verdadeiro profeta da civilização do amor, particularmente eloqüente para o nosso tempo.

ORAÇÃO INICIAL

Ó São Maximiliano, seguidor fidelíssimo do Pobrezinho de Assis, que inflamado de amor a Deus transcorreste a vida na prática assídua das virtudes heróicas e nas obras santas do apostolado, volta o teu olhar a nós, teus devotos, que confiamos na tua intercessão.
Tu que, irradiado da luz da Virgem Imaculada, atrais-te inúmeras pessoas aos ideais de santidade, chamando-as em diversas formas de apostolado para o triunfo do bem e da dilatação do Reino de Deus, obtenha a nós a luz e força para operar o bem e atrair muitas pessoas ao amor de Cristo.
Tu que, na perfeita conformidade ao divino Salvador, alcançaste alto grau de caridade para oferecer, em sublime sacrifício de amor, a tua vida para salvar a um irmão prisioneiro, suplique-nos do Senhor a graça que ardentemente te pedimos... (silêncio)
E, animados pelo mesmo ardor de caridade, possamos também nós com a fé e com obras testemunhar Cristo aos nossos irmãos, para alcançar contigo a beatificante possessão de Deus na luz da glória. Amém.

A DOAÇÃO TOTAL E SEM LIMITES

D. Estamos reunidos para agradecer ao Senhor e a Virgem Imaculada pelo dom da vida e da santidade de São Maximiliano Kolbe. Com ele queremos aprender a ser reflexo do amor de Deus para testemunhar aos homens de hoje a caridade e a verdade do Evangelho.

Evangelho de Lucas 2, 33 - 35:

“Seu pai e sua mãe estavam admirados das coisas que se diziam de Jesus. Simeão abençoou-os e disse a Maria, sua mãe: Eis que este menino está destinado a ser uma causa de queda e de soerguimento para muitos homens em Israel, e a ser um sinal que provocará contradições, a fim de serem revelados os pensamentos de muitos corações. E uma espada transpassará a tua alma.”

“Em cada coisa, então, não esqueçamos de repetir com Jesus no Horto das oliveiras: ‘Seja feita não a minha, mas a tua vontade’ (Lc 22,42). E se, como acontece no Horto das Oliveiras, Deus achará oportuna não realizar o nosso pedido e enviar-nos um cálice para beber até a última gota, não esqueçamos que Jesus não somente ofereceu, mas depois ressuscitou gloriosamente. Recordemo-nos, além disso, que somos prometidos para a ressurreição também através do sofrimento. Assim, pois, confiemos ilimitadamente em Deus por meio da Imaculada.”

L.1 A consagração é oferta total, é doação sem limites, é oferta de vítima com finalidade apostólica, é disponibilidade em colaborar ativamente na missão de Maria, é entrega da própria existência a Ela, sem reter nada para si.
A Consagração à Imaculada, nessa intensidade, se apresenta como uma proposta imperativa e exigente, aparece como uma opção fundamental, requer uma resposta duradoura e, em definitivo, é abraçada como uma vocação, como uma forma de seguimento de Cristo.
Portanto, vamos nos consagrar a Nossa Senhora: Virgem Imaculada minha mãe Maria eu...

L.2 Das catequeses marianas do Papa João Paulo II

O papel de Maria na obra da salvação é totalmente dependente daquele de Cristo. (...) A importância da cooperação da mulher à vinda de Cristo é colocada em evidência na iniciativa de Deus que, através do anjo, comunica à Virgem de Nazaré o seu plano de salvação, a fim de que ela possa cooperar de modo consciente e livre, manifestando o próprio consentimento generoso. Realiza-se aqui o modelo maior da cooperação responsável da mulher à redenção do homem, que constitui a referência transcendente para cada afirmação sobre o papel e a função da mulher na história. (...) Em virtude da particular ligação com Maria, a mulher, no curso da história, muitas vezes representou a proximidade de Deus às expectativas de bondade e de ternura da humanidade ferida pelo ódio e pelo pecado, espalhando pelo mundo a semente de uma civilização que saiba responder à violência com amor.

ORAÇÃO FINAL

Ó São Maximiliano, escuta esta oração de louvor e de súplica que te dirigimos com confiante devoção. Honramos a santidade da tua vida, guiada por intrépida fé no mistério de Cristo, sustentada por uma firme esperança na potência da sua graça, animada de ardente caridade a Deus e ao próximo.
Concede-nos poder viver constantemente em fiel correspondência à dignidade humana e cristã.
Exaltamos a tua atividade apostólica, na qual te empenhaste com fervoroso zelo para educar o povo de Deus na fé em Cristo Senhor, e na veneração à Imaculada, Rainha do mundo e Mãe da Igreja, para o advento do Reino de Cristo entre os homens.
Admiramos o sacrifício heróico com o qual ofereceste a tua vida espontaneamente para salvar a vida de um irmão.
Concede-nos crer firmemente que a fé em Cristo Senhor é a única vitória que vence o mal, e de podermos operar com a coragem dos mártires para o triunfo da justiça, da caridade e da paz. Amém.

Pai Nosso...
Ave Maria...
Glória...
São  Maximiliano Maria kolbe... Rogai por nós
SAalve Maria Imaculada.

Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém.

São Maximiliano Kolbe, rogai por nós!

“Em cada coisa, então, não esqueçamos de repetir com Jesus no Horto das oliveiras: ‘Seja feita não a minha, mas a tua vontade’ (Lc 22,42). E se, como acontece no Horto das Oliveiras, Deus achará oportuna não realizar o nosso pedido e enviar-nos um cálice para beber até a última gota, não esqueçamos que Jesus não somente ofereceu, mas depois ressuscitou gloriosamente. Recordemo-nos, além disso, que somos prometidos para a ressurreição também através do sofrimento. Assim, pois, confiemos ilimitadamente em Deus por meio da Imaculada.” (São Maximiliano Kolbe)

domingo, 12 de agosto de 2012

NOVENA A SÃO MAXIMILIANO (Oitavo dia)

PERCORRA O CAMINHO DA SANTIDADE

“São Maximiliano... um mestre, alguém que nos indicou a estrada”


Aproximando-nos de São Maximiliano Kolbe descobrimos que o seu desejo constante de santidade tem uma característica bem precisa: ser sempre mais perfeitamente da Imaculada para ser sempre mais perfeitamente de Deus! Este é o segredo que o conduziu ao seu objetivo, “ser santo e grande santo”, abrindo sempre mais as asas da sua vida rumo a plenitude do amor a Deus e aos irmãos. Tornou-se assim um verdadeiro profeta da civilização do amor, particularmente eloqüente para o nosso tempo.

ORAÇÃO INICIAL

Ó São Maximiliano, seguidor fidelíssimo do Pobrezinho de Assis, que inflamado de amor a Deus transcorreste a vida na prática assídua das virtudes heróicas e nas obras santas do apostolado, volta o teu olhar a nós, teus devotos, que confiamos na tua intercessão.
Tu que, irradiado da luz da Virgem Imaculada, atrais-te inúmeras pessoas aos ideais de santidade, chamando-as em diversas formas de apostolado para o triunfo do bem e da dilatação do Reino de Deus, obtenha a nós a luz e força para operar o bem e atrair muitas pessoas ao amor de Cristo.
Tu que, na perfeita conformidade ao divino Salvador, alcançaste alto grau de caridade para oferecer, em sublime sacrifício de amor, a tua vida para salvar a um irmão prisioneiro, suplique-nos do Senhor a graça que ardentemente te pedimos... (silêncio)
E, animados pelo mesmo ardor de caridade, possamos também nós com a fé e com obras testemunhar Cristo aos nossos irmãos, para alcançar contigo a beatificante possessão de Deus na luz da glória. Amém.

A TRANSFORMAÇÃO EM MARIA

D. Estamos reunidos para agradecer ao Senhor e a Virgem Imaculada pelo dom da vida e da santidade de São Maximiliano Kolbe. Com ele queremos aprender a ser reflexo do amor de Deus para testemunhar aos homens de hoje a caridade e a verdade do Evangelho.

Evangelho de Lucas 1, 46- 55:

“E Maria disse: Minha alma glorifica ao Senhor! meu espírito exulta de alegria em Deus, meu Salvador, porque olhou para sua pobre serva. Por isto, desde agora, me proclamarão bem-aventurada todas as gerações, porque realizou em mim maravilhas aquele que é poderoso e cujo nome é Santo. Sua misericórdia se estende, de geração em geração, sobre os que o temem. Manifestou o poder do seu braço: desconcertou os corações dos soberbos. Derrubou do trono os poderosos e exaltou os humildes. Saciou de bens os indigentes e despediu de mãos vazias os ricos. Acolheu a Israel, seu servo, lembrado da sua misericórdia, conforme prometera a nossos pais, em favor de Abraão e sua posteridade, para sempre.”

“Ela sozinha deve instruir cada um de nós em cada instante, deve conduzir-nos, transformar-nos em si mesma, de modo que não sejamos mais nós a viver, mas Ela em nós, assim como Jesus vive nEla e o Pai no Filho. Permitamos a Ela que faça de nós e por meio de nós qualquer coisa que desejar e Ela cumprirá seguramente milagres de graças: e nós mesmos nos tornaremos santos e grandes santos; muito grandes, porque conseguiremos tornar-nos semelhantes a Ela e Ela conquistará, por meios de nós, o mundo inteiro e cada alma”. (SK 556)

L.1 Maximiliano Kolbe já entendia a consagração à Imaculada com um ser “transformado nela”, um “tornar-se Ela”. A proposta global do mártir de Auschwitz mantém toda a sua atualidade. Se trata de manifestar na nossa vida a mesma vida de Maria, perfeita seguidora de Cristo e modelo da Igreja e de cada cristão. Ser Maria: uma espiritualidade mariana profundamente eclesial, que colhe nas atitudes da Virgem, descritas na Marialis Cultus, o caminho certo para “tornar-se Ela”. Maria é a virgem da escuta, a virgem da oração, a virgem mãe, a virgem oferente. Como expressar melhor o desejo de imitação e assimilação a Ela, senão entendendo a consagração como um dinamismo que, através de uma experiência concreta dessas quatro atitudes, se transforma nela? A vida interior intensa, como simbiose entre contemplação e ação; a obediência, como mistério de fé; a caridade-comunhão, que torna capaz de dar a vida pelo irmão; a oferta suprema, a dor quista por amor. Essas são, portanto, as colunas-mestras de uma vida vivida no seguimento de Cristo com Maria.

L.2 Das catequeses marianas do Papa João Paulo II

Maria testemunha o valor de uma existência humilde e escondida. Normalmente, todos exigem, e às vezes pretendem, poder valorizar ao máximo a sua própria pessoa e as próprias qualidades. Todos são sensíveis à estima e à honra. Os evangelhos mencionam repetidas vezes que os apóstolos ambicionavam os primeiros lugares no reino, discutiam entre si quem seria o maior, e que Jesus precisava dar-lhes, a esse respeito, lições sobre a necessidade da humildade e do serviço. Maria, ao contrário, nunca quis glórias ou vantagens de uma posição privilegiada; sempre buscou cumprir a vontade divina, conduzindo uma existência segundo o plano salvífico do Pai. A todos quantos, não raramente, sentem o peso de uma existência aparentemente insignificante, Maria revela quanto pode ser preciosa a vida, se vivida por amor a Cristo e aos irmãos.
João Paulo II – 22 de novembro de 1995

ORAÇÃO FINAL

Ó São Maximiliano, escuta esta oração de louvor e de súplica que te dirigimos com confiante devoção. Honramos a santidade da tua vida, guiada por intrépida fé no mistério de Cristo, sustentada por uma firme esperança na potência da sua graça, animada de ardente caridade a Deus e ao próximo.
Concede-nos poder viver constantemente em fiel correspondência à dignidade humana e cristã.
Exaltamos a tua atividade apostólica, na qual te empenhaste com fervoroso zelo para educar o povo de Deus na fé em Cristo Senhor, e na veneração à Imaculada, Rainha do mundo e Mãe da Igreja, para o advento do Reino de Cristo entre os homens.
Admiramos o sacrifício heróico com o qual ofereceste a tua vida espontaneamente para salvar a vida de um irmão.
Concede-nos crer firmemente que a fé em Cristo Senhor é a única vitória que vence o mal, e de podermos operar com a coragem dos mártires para o triunfo da justiça, da caridade e da paz. Amém.

Pai Nosso...
Ave Maria...
Glória...
São  Maximiliano Maria kolbe... Rogai por nós
Salva Maria Imaculada.

Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém.

sábado, 11 de agosto de 2012

São Maximiliano Maria Kolbe - Vida por Vida

A hitória de Maximiliano Kolbe contada por um prisioneiro do campo de concentração. Filme dirigido pelo polonês Krzysztof Zanussi (1991).

NOVENA A SÃO MAXIMILIANO (Sétimo dia)

PERCORRA O CAMINHO DA SANTIDADE

“São Maximiliano... um mestre, alguém que nos indicou a estrada”


Aproximando-nos de São Maximiliano Kolbe descobrimos que o seu desejo constante de santidade tem uma característica bem precisa: ser sempre mais perfeitamente da Imaculada para ser sempre mais perfeitamente de Deus! Este é o segredo que o conduziu ao seu objetivo, “ser santo e grande santo”, abrindo sempre mais as asas da sua vida rumo a plenitude do amor a Deus e aos irmãos. Tornou-se assim um verdadeiro profeta da civilização do amor, particularmente eloqüente para o nosso tempo.

ORAÇÃO INICIAL

Ó São Maximiliano, seguidor fidelíssimo do Pobrezinho de Assis, que inflamado de amor a Deus transcorreste a vida na prática assídua das virtudes heróicas e nas obras santas do apostolado, volta o teu olhar a nós, teus devotos, que confiamos na tua intercessão.
Tu que, irradiado da luz da Virgem Imaculada, atrais-te inúmeras pessoas aos ideais de santidade, chamando-as em diversas formas de apostolado para o triunfo do bem e da dilatação do Reino de Deus, obtenha a nós a luz e força para operar o bem e atrair muitas pessoas ao amor de Cristo.
Tu que, na perfeita conformidade ao divino Salvador, alcançaste alto grau de caridade para oferecer, em sublime sacrifício de amor, a tua vida para salvar a um irmão prisioneiro, suplique-nos do Senhor a graça que ardentemente te pedimos... (silêncio)
E, animados pelo mesmo ardor de caridade, possamos também nós com a fé e com obras testemunhar Cristo aos nossos irmãos, para alcançar contigo a beatificante possessão de Deus na luz da glória. Amém.

A INTIMIDADE DE VIDA COM MARIA

D. Estamos reunidos para agradecer ao Senhor e a Virgem Imaculada pelo dom da vida e da santidade de São Maximiliano Kolbe. Com ele queremos aprender a ser reflexo do amor de Deus para testemunhar aos homens de hoje a caridade e a verdade do Evangelho.

Evangelho de Lucas 2, 22-28:

“Concluídos os dias da sua purificação segundo a Lei de Moisés, Maria e José levaram Jesus a Jerusalém para apresentar-lo ao Senhor, conforme o que está escrito na lei do Senhor: todo primogênito do sexo masculino será consagrado ao Senhor; e para oferecerem o sacrifício prescrito pela lei do Senhor, um par de rolas ou dois pombinhos. Ora, havia em Jerusalém um homem chamado Simeão. Este homem, justo e piedoso, esperava a consolação de Israel, e o Espírito Santo estava nele.
Fora-lhe revelado pelo Espírito Santo que não morreria sem primeiro ver o Cristo do Senhor. Impelido pelo Espírito Santo, foi ao templo. E tendo os pais apresentado o menino Jesus, para cumprirem a respeito dele os preceitos da lei, tomou-o em seus braços e louvou a Deus...”

“A Imaculada, é o nosso ideal; um ideal para conhecer, para Ter na vida, e para fazer conhecer ao mundo inteiro”. Grande empenho de toda a nossa vida, nós que nos consagramos a Ela, ao seu Imaculado Coração: “Devemos nos aproximar dela, tornar-nos semelhantes a Ela, permitir que Ela tome posse do nosso coração e de todo o nosso ser, que Ela viva, opere em nós e através de nós, que Ela mesma ame Deus com o nosso coração, que nós pertençamos a Ela sem nenhuma restrição: Eis o nosso ideal. Irradiar o ambiente, conquistar as almas a Ela, de modo que de fronte a Ela estenda o próprio domínio nos corações de todos aqueles que vivem em todos os lugares da terra, sem restrição à diversidade de raça, de nacionalidade, de língua, e ainda no coração de todos aqueles que viverão em qualquer momento histórico, até o fim do mundo: Eis o nosso ideal”.

L.1 Se a Consagração à Imaculada se exprime eficazmente no imitar Maria, no reproduzir em nós as suas atitudes espirituais, isso pressupõe e exige uma intimidade de vida com Ela. Na consagração a Maria é a própria vida que se transforma em oração e a oração se transforma em vida. O apaixonado dá um delicado destaque a tudo aquilo que é louvor, gratidão, oração, amor a Maria.

L.2 Das catequeses marianas do Papa João Paulo II

Maria testemunha o valor de uma vida pura e cheia de ternura para com todos os homens. A beleza de sua alma é objeto de admiração por parte de povo cristão. Em Maria a comunidade cristã sempre viu um modelo de mulher, cheia de amor e de ternura, porque viveu na pureza do coração e da carne. Diante do cinismo de uma certa cultura contemporânea que, muitas vezes, parece não reconhecer o valor da castidade e banaliza a sensualidade, separando-a da dignidade da pessoa e do projeto de Deus, a Virgem Maria propõe o testemunho de uma pureza que ilumina a consciência e conduz a um amor maior pelas criaturas e pelo Senhor. E ainda: aos cristãos de todos os tempos, Maria aparece como Aquela que experimenta pelos sofrimentos da humanidade, uma viva compaixão. Tal compaixão não consiste somente em uma participação afetiva, mas se traduz em uma ajuda eficaz e concreta.
João Paulo II – 22 de novembro de 1995

ORAÇÃO FINAL

Ó São Maximiliano, escuta esta oração de louvor e de súplica que te dirigimos com confiante devoção. Honramos a santidade da tua vida, guiada por intrépida fé no mistério de Cristo, sustentada por uma firme esperança na potência da sua graça, animada de ardente caridade a Deus e ao próximo.
Concede-nos poder viver constantemente em fiel correspondência à dignidade humana e cristã.
Exaltamos a tua atividade apostólica, na qual te empenhaste com fervoroso zelo para educar o povo de Deus na fé em Cristo Senhor, e na veneração à Imaculada, Rainha do mundo e Mãe da Igreja, para o advento do Reino de Cristo entre os homens.
Admiramos o sacrifício heróico com o qual ofereceste a tua vida espontaneamente para salvar a vida de um irmão.
Concede-nos crer firmemente que a fé em Cristo Senhor é a única vitória que vence o mal, e de podermos operar com a coragem dos mártires para o triunfo da justiça, da caridade e da paz. Amém.

Pai Nosso...
Ave Maria...
Glória...
São  Maximiliano Maria kolbe... Rogai por nós
Salve Maria Imaculada.

Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém.

quinta-feira, 9 de agosto de 2012

NOVENA A SÃO MAXIMILIANO (Sexto dia)

PERCORRA O CAMINHO DA SANTIDADE

“São Maximiliano... um mestre, alguém que nos indicou a estrada”


 
Aproximando-nos de São Maximiliano Kolbe descobrimos que o seu desejo constante de santidade tem uma característica bem precisa: ser sempre mais perfeitamente da Imaculada para ser sempre mais perfeitamente de Deus! Este é o segredo que o conduziu ao seu objetivo, “ser santo e grande santo”, abrindo sempre mais as asas da sua vida rumo a plenitude do amor a Deus e aos irmãos. Tornou-se assim um verdadeiro profeta da civilização do amor, particularmente eloqüente para o nosso tempo.

ORAÇÃO INICIAL

Ó São Maximiliano, seguidor fidelíssimo do Pobrezinho de Assis, que inflamado de amor a Deus transcorreste a vida na prática assídua das virtudes heróicas e nas obras santas do apostolado, volta o teu olhar a nós, teus devotos, que confiamos na tua intercessão.
Tu que, irradiado da luz da Virgem Imaculada, atrais-te inúmeras pessoas aos ideais de santidade, chamando-as em diversas formas de apostolado para o triunfo do bem e da dilatação do Reino de Deus, obtenha a nós a luz e força para operar o bem e atrair muitas pessoas ao amor de Cristo.
Tu que, na perfeita conformidade ao divino Salvador, alcançaste alto grau de caridade para oferecer, em sublime sacrifício de amor, a tua vida para salvar a um irmão prisioneiro, suplique-nos do Senhor a graça que ardentemente te pedimos... (silêncio)
E, animados pelo mesmo ardor de caridade, possamos também nós com a fé e com obras testemunhar Cristo aos nossos irmãos, para alcançar contigo a beatificante possessão de Deus na luz da glória. Amém .

CONSAGRAÇÃO: CAMINHO DE SANTIFICAÇÃO

D. Estamos reunidos para agradecer ao Senhor e a Virgem Imaculada pelo dom da vida e da santidade de São Maximiliano Kolbe. Com ele queremos aprender a ser reflexo do amor de Deus para testemunhar aos homens de hoje a caridade e a verdade do Evangelho.

Evangelho de Lucas 1, 39-45:

Naqueles dias, Maria se levantou e foi às pressas às montanhas, a uma cidade de Judá. Entrou em casa de Zacarias e saudou Isabel. Ora, apenas Isabel ouviu a saudação de Maria, a criança estremeceu no seu seio; e Isabel ficou cheia do Espírito Santo. E exclamou em alta voz: Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre. Donde me vem esta honra de vir a mim a mãe de meu Senhor? Donde me vem esta honra de vir a mim a mãe de meu Senhor? Bem-aventurada és tu que creste, pois se hão de cumprir as coisas que da parte do Senhor te foram ditas!

“Impenetráveis são os admiráveis caminhos da Divina Providência, e sua ação nas almas por meio da Imaculada. Ela entra numa alma através de uma inspiração interior, ou através do ambiente. E quando Ela consegue entrar, ou as portas da alma se abrem um pouco, Ela penetra no interior da casa, purifica-a de pecados e defeitos, a adorna com virtudes, e a conduz pelo caminho de um amor ardente.” (SK 1170)

L.1 Mas que contribuição oferece à nossa vida espiritual a consagração à Imaculada? Sentimos, de fato, a exigência de uma profunda unidade interior. A consagração está a serviço dessa unidade e está a serviço da nossa santificação. Se a vocação de cada cristão é aquela de ser santo, caminhar com Maria e em Maria ao longo das veredas deste chamado, torna o passo ligeiro e o coração seguro.

L.2 Das catequeses marianas do Papa João Paulo II

Na experiência pessoal da virgem, a esperança se enriquecia de motivações sempre novas. Com a anunciação, Maria concentra no Filho de Deus encarnado no seu seio virginal, as expectativas do antigo povo de Israel. A sua esperança se fortifica nas fases sucessivas da vida escondida de Nazaré e do ministério público de Jesus. A sua grande fé na palavra de Cristo, que havia anunciado a sua ressurreição ao terceiro dia, não a fez vacilar nem mesmo diante do drama da cruz (...). No seu difícil caminhar através da história, entre o “já” da salvação recebida e o “ainda não” da sua plena realização, a comunidade dos cristãos sabia que podia contar com a ajuda da mãe da esperança que, tendo experimentado a vitória de Cristo sobre o poder da morte, lhe comunica uma capacidade sempre nova de esperança no futuro de Deus e de abandono às promessas do Senhor.
João Paulo II – 22 de novembro de 1995

ORAÇÃO FINAL

Ó São Maximiliano, escuta esta oração de louvor e de súplica que te dirigimos com confiante devoção. Honramos a santidade da tua vida, guiada por intrépida fé no mistério de Cristo, sustentada por uma firme esperança na potência da sua graça, animada de ardente caridade a Deus e ao próximo.
Concede-nos poder viver constantemente em fiel correspondência à dignidade humana e cristã.
Exaltamos a tua atividade apostólica, na qual te empenhaste com fervoroso zelo para educar o povo de Deus na fé em Cristo Senhor, e na veneração à Imaculada, Rainha do mundo e Mãe da Igreja, para o advento do Reino de Cristo entre os homens.
Admiramos o sacrifício heróico com o qual ofereceste a tua vida espontaneamente para salvar a vida de um irmão.
Concede-nos crer firmemente que a fé em Cristo Senhor é a única vitória que vence o mal, e de podermos operar com a coragem dos mártires para o triunfo da justiça, da caridade e da paz. Amém.

Pai Nosso...
Ave Maria...
Glória...
São  Maximiliano Maria kolbe... Rogai por nós
Salve Maria Imaculada.

Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém.
NOVENA A SÃO MAXIMILIANO (Quinto dia)

PERCORRA O CAMINHO DA SANTIDADE

“São Maximiliano... um mestre, alguém que nos indicou a estrada”


Aproximando-nos de São Maximiliano Kolbe descobrimos que o seu desejo constante de santidade tem uma característica bem precisa: ser sempre mais perfeitamente da Imaculada para ser sempre mais perfeitamente de Deus! Este é o segredo que o conduziu ao seu objetivo, “ser santo e grande santo”, abrindo sempre mais as asas da sua vida rumo a plenitude do amor a Deus e aos irmãos. Tornou-se assim um verdadeiro profeta da civilização do amor, particularmente eloqüente para o nosso tempo.

ORAÇÃO INICIAL

Ó São Maximiliano, seguidor fidelíssimo do Pobrezinho de Assis, que inflamado de amor a Deus transcorreste a vida na prática assídua das virtudes heróicas e nas obras santas do apostolado, volta o teu olhar a nós, teus devotos, que confiamos na tua intercessão.
Tu que, irradiado da luz da Virgem Imaculada, atrais-te inúmeras pessoas aos ideais de santidade, chamando-as em diversas formas de apostolado para o triunfo do bem e da dilatação do Reino de Deus, obtenha a nós a luz e força para operar o bem e atrair muitas pessoas ao amor de Cristo.
Tu que, na perfeita conformidade ao divino Salvador, alcançaste alto grau de caridade para oferecer, em sublime sacrifício de amor, a tua vida para salvar a um irmão prisioneiro, suplique-nos do Senhor a graça que ardentemente te pedimos... (silêncio)
E, animados pelo mesmo ardor de caridade, possamos também nós com a fé e com obras testemunhar Cristo aos nossos irmãos, para alcançar contigo a beatificante possessão de Deus na luz da glória. Amém.

A HERANÇA KOLBIANA

D. Estamos reunidos para agradecer ao Senhor e a Virgem Imaculada pelo dom da vida e da santidade de São Maximiliano Kolbe. Com ele queremos aprender a ser reflexo do amor de Deus para testemunhar aos homens de hoje a caridade e a verdade do Evangelho.

Evangelho de Mateus 2, 15-19:

Depois que os anjos os deixaram e voltaram para o céu, falaram os pastores uns com os outros: Vamos até Belém e vejamos o que se realizou e o que o Senhor nos manifestou. Foram com grande pressa e acharam Maria e José, e o menino deitado na manjedoura. Vendo-o, contaram o que se lhes havia dito a respeito deste menino. Todos os que os ouviam admiravam-se das coisas que lhes contavam os pastores. Maria conservava todas estas palavras, meditando-as no seu coração.

"... Caro filhinho, não te entristeças, não te angusties. A Imaculada sabe tudo e dirige tudo. Deixemo-nos, somente conduzir por Ela sempre mais perfeitamente e Ela mesma em nós e através de nós fará o máximo possível para salvar as almas, para conquistá-las para Si e, por seu intermédio ao Coração de Jesus. Com a ajuda da Imaculada podemos tudo!" (SK 609)

L.1 No que se refere à Consagração à Imaculada, temos em São Maximiliano Kolbe um mestre, alguém que indicou a estrada e deixou uma herança para dar continuidade, manter viva, aprofundar e atualizar. Ele nos confia a espiritualidade mariana, vivida como oferta de toda a vida a Maria, para que os homens do nosso tempo descubram nela o segredo da fidelidade a Deus e ao homem, como foi para ele, e o segredo do seguimento de Cristo até o martírio.

L.2 Das catequeses marianas do Papa João Paulo II

Maria nos precedeu no caminho da fé: crendo no anúncio do anjo, Ela acolhe primeiramente e de modo perfeito o mistério da encarnação (cf. Redemptoris Mater, 13). O seu itinerário de fé inicia-se ainda antes da notícia da maternidade divina e se desenvolve e aprofunda durante toda a sua experiência terrena. A sua fé é uma fé audaz que, na anunciação, crê no humanamente impossível e em Caná impulsiona Jesus a realizar o primeiro milagre, provocando a manifestação dos seus poderes messiânicos (cf. Jo 2,1-5). Maria educa os cristãos a viverem a fé como caminho comprometido e envolvido que, em todas as etapas e situações da vida, exige audácia e perseverança constante.
João Paulo II – 22 de novembro de 1995

ORAÇÃO FINAL

Ó São Maximiliano, escuta esta oração de louvor e de súplica que te dirigimos com confiante devoção. Honramos a santidade da tua vida, guiada por intrépida fé no mistério de Cristo, sustentada por uma firme esperança na potência da sua graça, animada de ardente caridade a Deus e ao próximo.
Concede-nos poder viver constantemente em fiel correspondência à dignidade humana e cristã.
Exaltamos a tua atividade apostólica, na qual te empenhaste com fervoroso zelo para educar o povo de Deus na fé em Cristo Senhor, e na veneração à Imaculada, Rainha do mundo e Mãe da Igreja, para o advento do Reino de Cristo entre os homens.
Admiramos o sacrifício heróico com o qual ofereceste a tua vida espontaneamente para salvar a vida de um irmão.
Concede-nos crer firmemente que a fé em Cristo Senhor é a única vitória que vence o mal, e de podermos operar com a coragem dos mártires para o triunfo da justiça, da caridade e da paz. Amém.

Pai Nosso...
Ave Maria...
Glória...
São  Maximiliano Maria kolbe... Rogai por nós
Salve Maria Imaculada.

Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém.

quarta-feira, 8 de agosto de 2012

São Maximiliano Kolbe, mártir da caridade

"Ó Deus, que deste à Igreja e ao mundo São Maximiliano Kolbe, sacerdote e mártir, ardente de amor pela Virgem Imaculada, inteiramente dedicado à missão apostólica e ao heróico serviço ao próximo, pela sua intercessão, concede-nos sem reservas para o bem da humanidade imitar na vida e na morte, o Cristo, teu Filho. Amém." (Perseverantes na oração)

Número 16.670

Filho de Júlio e Maria Dabroska, Maximiliano Kolbe nasce em Zdunska Wola, na Polônia, a 8 de janeiro de 1864. No batismo, recebe o nome de Raimundo. É o segundo de cinco filhos.
Em 1907, Raimundo e seu irmão mais velho, Francisco, entram no Seminário Menor dos Franciscanos Conventuais, em Leópolis.
Na escola, gostava de matemática, de ciências e de estratégias militares. Xadrez era seu jogo preferido. Chegou a desenvolver projetos de foguetes, montava rádios e outros aparelhos. Mas, com o início da guerra, descobre que seu pai decide combater contra os russos. Em 1919, terá a confirmação que este morrera na guerra.
Como o pai, Raimundo sonha em defender a Polônia, quer lutar pela pátria, defender seus irmãos. E, antes de entrar no noviciado, em 1910, tem uma crise vocacional. Esta dúvida o persegue, a tal ponto que decide não somente abandonar a Ordem Franciscana, mas convence Francisco, seu irmão, a ir com ele. Estavam prontos para conversar com o reitor, quando ambos recebem uma visita inesperada. Era Maria Dabroska, que contava para os filhos que também ela entraria no convento. Eles optam pela vida consagrada e, a partir deste dia, Maximiliano canaliza suas forças e estratégias militares para “conquistar” almas para o reino de Deus.
No dia primeiro de novembro de 1914, ele se consagra totalmente a Deus. Aos 20 anos de idade, Maximiliano recebe o grau de doutor em Filosofia.
Na noite de 16 de outubro de 1917, junto com mais seis confrades, cria a Milícia da Imaculada. É ordenado sacerdote, em 28 de abril de 1918, e conclui seu segundo doutorado, este em Teologia, em 1919.
De volta para a Polônia, o filho de Júlio e Maria Dabroska será chamado e conhecido como Padre Maximiliano Kolbe. Tuberculoso, é enviado a dar aulas no Seminário Franciscano de Cracóvia, mas não consegue falar com voz alta durante muito tempo, portanto, é transferido para atender as confissões. Nas crises da doença, é enviado para uma casa de recuperação, na cidade de Zakopane.
Em 1927, após uma conversa com o príncipe João Drucki-Lubecki, Maximiliano ganha um terreno em Teresin, fora de Varsóvia, próximo da principal rede ferroviária, e inicia a construção da Cidade da Imaculada, mais conhecida como Niepokalanów. Era dia primeiro de outubro.
No dia primeiro de setembro de 1939, a Alemanha declara guerra à Polônia. Após 18 dias, os nazistas confiscam a Cidade da Imaculada e prendem Padre Maximiliano e outros franciscanos. Estes permanecem quase 80 dias detidos, sucessivamente, nos campos de concentração de Lamsdorf, Amtitz e Ostrzeszów. Retornam à cidade-convento no dia 10 de dezembro.
No dia 17 de fevereiro de 1941, a Gestapo retorna a Niepokalanów e prende mais uma vez Maximiliano Kolbe. Este é enviado ao presídio de Pawiak, em Varsóvia.
No dia 28 de maio, é transferido para o campo de concentração de Auschwitz e se torna o número 16.670.
Morre no dia 14 de agosto de 1941, com uma injeção de ácido fênico aplicada no braço, após ter passado 15 dias no bunker da fome, depois de ter se oferecido para morrer no lugar de um pai de família.
Padre Maximiliano foi beatificado no dia 17 de outubro de 1971, pelo Papa Paulo VI, e canonizado pelo Papa João Paulo II, no dia 10 de outubro de 1982.

Lourdes Crespan

terça-feira, 7 de agosto de 2012

NOVENA A SÃO MAXIMILIANO (Quarto dia)

PERCORRA O CAMINHO DA SANTIDADE

“São Maximiliano... um mestre, alguém que nos indicou a estrada”


Aproximando-nos de São Maximiliano Kolbe descobrimos que o seu desejo constante de santidade tem uma característica bem precisa: ser sempre mais perfeitamente da Imaculada para ser sempre mais perfeitamente de Deus! Este é o segredo que o conduziu ao seu objetivo, “ser santo e grande santo”, abrindo sempre mais as asas da sua vida rumo a plenitude do amor a Deus e aos irmãos. Tornou-se assim um verdadeiro profeta da civilização do amor, particularmente eloqüente para o nosso tempo.

ORAÇÃO INICIAL

Ó São Maximiliano, seguidor fidelíssimo do Pobrezinho de Assis, que inflamado de amor a Deus transcorreste a vida na prática assídua das virtudes heróicas e nas obras santas do apostolado, volta o teu olhar a nós, teus devotos, que confiamos na tua intercessão.
Tu que, irradiado da luz da Virgem Imaculada, atrais-te inúmeras pessoas aos ideais de santidade, chamando-as em diversas formas de apostolado para o triunfo do bem e da dilatação do Reino de Deus, obtenha a nós a luz e força para operar o bem e atrair muitas pessoas ao amor de Cristo.
Tu que, na perfeita conformidade ao divino Salvador, alcançaste alto grau de caridade para oferecer, em sublime sacrifício de amor, a tua vida para salvar a um irmão prisioneiro, suplique-nos do Senhor a graça que ardentemente te pedimos... (silêncio)
E, animados pelo mesmo ardor de caridade, possamos também nós com a fé e com obras testemunhar Cristo aos nossos irmãos, para alcançar contigo a beatificante possessão de Deus na luz da glória. Amém.

POR AMOR À IGREJA

D. Estamos reunidos para agradecer ao Senhor e a Virgem Imaculada pelo dom da vida e da santidade de São Maximiliano Kolbe. Com ele queremos aprender a ser reflexo do amor de Deus para testemunhar aos homens de hoje a caridade e a verdade do Evangelho.

Leitura dos Atos dos Apóstolos 1,13:

“Tendo entrado no cenáculo, subiram ao quarto de cima, onde costumavam permanecer. Eram eles: Pedro e João, Tiago, André, Filipe, Tomé, Bartolomeu, Mateus, Tiago, filho de Alfeu, Simão, o Zelador, e Judas, irmão de Tiago. Todos eles perseveravam unanimemente na oração, juntamente com as mulheres, entre elas Maria, mãe de Jesus, e os irmãos dele.”

“A união entre a Imaculada e o Espírito Santo é assim inexprimível e perfeita que o Espírito Santo age unicamente através da Imaculada, a sua esposa. Como consequência ela é a Medianeira de todas as graças do Espírito Santo. Dado que cada graça é um Dom de Deus Pai através do Filho e o Espírito Santo, por isso não existe graça que não pertença à Imaculada, oferecida a Ela, à sua livre disposição”. (SK 634)

L.1 Na nossa consagração a Maria, é grande a importância da dimensão eclesial. Maria, presente no cenáculo de Jerusalém à espera do Espírito Santo, é mãe da Igreja. O mistério que une Maria à Igreja faz com que a nossa consagração a Maria seja, definitivamente, consagração à Igreja. Viver com Maria pressupõe construir a Igreja; acolher Maria implica na disponibilidade em colaborar com a missão evangelizadora da Igreja.

L.2 Das catequeses marianas do Papa João Paulo II

O desenvolvimento da reflexão mariológica e do culto à virgem, ao longo dos séculos, contribuiu para mostrar de forma cada vez melhor o rosto mariano da Igreja. Certamente, a Virgem Santíssima está inteiramente ligada a Cristo, fundamento da fé e da experiência eclesial, e a Ele conduz. Por isso, obedecendo a Jesus, que reservou à mãe um papel todo especial na economia da salvação, os cristãos veneraram, amaram e suplicaram a Maria de modo muito particular e intenso. Eles lhe atribuíram uma posição de destaque na fé e na devoção, reconhecendo-a como caminho privilegiado que conduz a Cristo, supremo mediador.
A dimensão Mariana da Igreja constitui, assim, um elemento inegável na experiência do povo cristão.
João Paulo II – 15 de novembro de 1995

ORAÇÃO FINAL

Ó São Maximiliano, escuta esta oração de louvor e de súplica que te dirigimos com confiante devoção. Honramos a santidade da tua vida, guiada por intrépida fé no mistério de Cristo, sustentada por uma firme esperança na potência da sua graça, animada de ardente caridade a Deus e ao próximo.
Concede-nos poder viver constantemente em fiel correspondência à dignidade humana e cristã.
Exaltamos a tua atividade apostólica, na qual te empenhaste com fervoroso zelo para educar o povo de Deus na fé em Cristo Senhor, e na veneração à Imaculada, Rainha do mundo e Mãe da Igreja, para o advento do Reino de Cristo entre os homens.
Admiramos o sacrifício heróico com o qual ofereceste a tua vida espontaneamente para salvar a vida de um irmão.
Concede-nos crer firmemente que a fé em Cristo Senhor é a única vitória que vence o mal, e de podermos operar com a coragem dos mártires para o triunfo da justiça, da caridade e da paz. Amém.

Pai Nosso...
Ave Maria...
Glória...
São  Maximiliano Maria kolbe... Rogai por nós
Salve maria Imaculada.

Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém.

segunda-feira, 6 de agosto de 2012

NOVENA A SÃO MAXIMILIANO (Terceiro dia)

PERCORRA O CAMINHO DA SANTIDADE

“São Maximiliano... um mestre, alguém que nos indicou a estrada”


Aproximando-nos de São Maximiliano Kolbe descobrimos que o seu desejo constante de santidade tem uma característica bem precisa: ser sempre mais perfeitamente da Imaculada para ser sempre mais perfeitamente de Deus! Este é o segredo que o conduziu ao seu objetivo, “ser santo e grande santo”, abrindo sempre mais as asas da sua vida rumo a plenitude do amor a Deus e aos irmãos. Tornou-se assim um verdadeiro profeta da civilização do amor, particularmente eloqüente para o nosso tempo.

ORAÇÃO INICIAL

Ó São Maximiliano, seguidor fidelíssimo do Pobrezinho de Assis, que inflamado de amor a Deus transcorreste a vida na prática assídua das virtudes heróicas e nas obras santas do apostolado, volta o teu olhar a nós, teus devotos, que confiamos na tua intercessão.
Tu que, irradiado da luz da Virgem Imaculada, atrais-te inúmeras pessoas aos ideais de santidade, chamando-as em diversas formas de apostolado para o triunfo do bem e da dilatação do Reino de Deus, obtenha a nós a luz e força para operar o bem e atrair muitas pessoas ao amor de Cristo.
Tu que, na perfeita conformidade ao divino Salvador, alcançaste alto grau de caridade para oferecer, em sublime sacrifício de amor, a tua vida para salvar a um irmão prisioneiro, suplique-nos do Senhor a graça que ardentemente te pedimos... (silêncio)
E, animados pelo mesmo ardor de caridade, possamos também nós com a fé e com obras testemunhar Cristo aos nossos irmãos, para alcançar contigo a beatificante possessão de Deus na luz da glória. Amém.

COM O OLHAR FIXO EM CRISTO

D. Estamos reunidos para agradecer ao Senhor e a Virgem Imaculada pelo dom da vida e da santidade de São Maximiliano Kolbe. Com ele queremos aprender a ser reflexo do amor de Deus para testemunhar aos homens de hoje a caridade e a verdade do Evangelho.

Evangelho de João 2, 1-5:

“No terceiro dia, houve uma festa de casamento em cana da Galiléia, e a mãe de Jesus estava aí. Jesus e seus discípulos também tinham sido convidado para essa festa. Como viesse a faltar vinho, a mãe de Jesus disse-lhe: Eles já não têm vinho. Respondeu-lhe Jesus: Mulher, isso compete a nós? Minha hora ainda não chegou. Disse, então, sua mãe aos serventes: Fazei o que ele vos disser.”

“É sem dúvida que à vontade da Imaculada é plenamente unida à vontade de Deus; portanto, não é necessário fazer outra coisa que unir a nossa vontade com a sua, para que, através dela, nos unamos a Deus” (SK 579).

L.1 Se a comunhão com a Trindade constitui o fim da consagração a Maria, esta tem em Cristo seu foco central. A comunhão com a Trindade passa através dela. Maria, mãe do Verbo Encarnado, está totalmente relacionada a Cristo; associada a Ele na obra da nossa salvação, permanece totalmente voltada para o seu Filho. A nossa consagração a Ela não tem outro objetivo senão aquele de nos levar a Cristo. Ela tem sempre e somente uma palavra a nos dizer, a mesma que dirigiu aos servos de Caná: “Fazei aquilo que Ele vos disser” (Jo 2,5).

L.2 Das catequeses marianas do Papa João Paulo II

O Espírito Santo guia o esforço da Igreja, impulsionando-a a assumir as mesmas atitudes de Maria. No episódio do nascimento de Jesus, Lucas nota como sua mãe guardava todas as coisas “meditando-as em seu coração” (2,19), isto é, esforçando-se em “juntar” (symballousa) com um olhar mais profundo, todos os acontecimentos dos quais era testemunha privilegiada. Analogamente, também o povo de Deus é impelido, pelo mesmo Espírito, a compreender em profundidade tudo aquilo que foi dito de Maria, a fim de progredir no entendimento de sua missão, intimamente ligada ao mistério de Cristo.
(...) O mistério de Maria impulsiona cada cristão, em comunhão com a Igreja, a “meditar em seu coração” aquilo que a revelação evangélica afirma a respeito da mãe de Cristo.
João Paulo II – 8 de novembro de 1995

ORAÇÃO FINAL

Ó São Maximiliano, escuta esta oração de louvor e de súplica que te dirigimos com confiante devoção. Honramos a santidade da tua vida, guiada por intrépida fé no mistério de Cristo, sustentada por uma firme esperança na potência da sua graça, animada de ardente caridade a Deus e ao próximo.
Concede-nos poder viver constantemente em fiel correspondência à dignidade humana e cristã.
Exaltamos a tua atividade apostólica, na qual te empenhaste com fervoroso zelo para educar o povo de Deus na fé em Cristo Senhor, e na veneração à Imaculada, Rainha do mundo e Mãe da Igreja, para o advento do Reino de Cristo entre os homens.
Admiramos o sacrifício heróico com o qual ofereceste a tua vida espontaneamente para salvar a vida de um irmão.
Concede-nos crer firmemente que a fé em Cristo Senhor é a única vitória que vence o mal, e de podermos operar com a coragem dos mártires para o triunfo da justiça, da caridade e da paz. Amém.

Pai Nosso...
Ave Maria...
Glória...
São  Maximiliano Maria kolbe... Rogai por nós
Salve Maria Imaculada.

Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém.

domingo, 5 de agosto de 2012

A missionariedade de Padre Kolbe e o segundo dia de formação dos JMI

Hoje, domingo, dia 5 de agosto, participamos da segunda formação dos Jovens da Milícia da Imaculada, com o tema "A Missionariedade de Padre Kolbe". O encontro aconteceu na Sede Nacional do movimento, no Riacho Grande, em São Bernardo do Campo - SP, das 9h às 12h.
Após a oração inicial, conduzida pela Caroline de Paula, a Missionária Lourdes Crespan conversou com o grupo de jovens sobre o dinamismo missionário da consagração a Nossa Senhora.
Vale ressaltar, que o conceito abordado é a base da missão vivida por Maximiliano Kolbe, que sempre desejou conquistar o mundo inteiro a Cristo por meio da Imaculada.
A missionária ressaltou também a importãncia que o fundador da MI dava para três pontos importantes do apostalado e seus meios: a oração, o trabalho e o sacrifício.
No final da palestra, os jovens leram alguns escritos de Padre Kolbe e compartilharam os propósitos que nasceram desta leitura e que os ajudarão na preparação e vivência da Missão Kolbe, que acontecerá nos dias 13 e 14 de outubro em Atibaia, Maceió, Campo Grande, Dourados e São Bernardo do Campo.
NOVENA A SÃO MAXIMILIANO (Segundo dia)

PERCORRA O CAMINHO DA SANTIDADE

“São Maximiliano... um mestre, alguém que nos indicou a estrada”


Aproximando-nos de São Maximiliano Kolbe descobrimos que o seu desejo constante de santidade tem uma característica bem precisa: ser sempre mais perfeitamente da Imaculada para ser sempre mais perfeitamente de Deus! Este é o segredo que o conduziu ao seu objetivo, “ser santo e grande santo”, abrindo sempre mais as asas da sua vida rumo a plenitude do amor a Deus e aos irmãos. Tornou-se assim um verdadeiro profeta da civilização do amor, particularmente eloqüente para o nosso tempo.

ORAÇÃO INICIAL

Ó São Maximiliano, seguidor fidelíssimo do Pobrezinho de Assis, que inflamado de amor a Deus transcorreste a vida na prática assídua das virtudes heróicas e nas obras santas do apostolado, volta o teu olhar a nós, teus devotos, que confiamos na tua intercessão.
Tu que, irradiado da luz da Virgem Imaculada, atrais-te inúmeras pessoas aos ideais de santidade, chamando-as em diversas formas de apostolado para o triunfo do bem e da dilatação do Reino de Deus, obtenha a nós a luz e força para operar o bem e atrair muitas pessoas ao amor de Cristo.
Tu que, na perfeita conformidade ao divino Salvador, alcançaste alto grau de caridade para oferecer, em sublime sacrifício de amor, a tua vida para salvar a um irmão prisioneiro, suplique-nos do Senhor a graça que ardentemente te pedimos... (silêncio)
E, animados pelo mesmo ardor de caridade, possamos também nós com a fé e com obras testemunhar Cristo aos nossos irmãos, para alcançar contigo a beatificante possessão de Deus na luz da glória. Amém

NO CORAÇÃO DA TRINDADE

D. Estamos reunidos para agradecer ao Senhor e a Virgem Imaculada pelo dom da vida e da santidade de São Maximiliano Kolbe. Com ele queremos aprender a ser reflexo do amor de Deus para testemunhar aos homens de hoje a caridade e a verdade do Evangelho.

Evangelho de Lucas 1,28-3:

“Alegra-te cheia de graça, o Senhor está contigo.” Maria ficou intrigada com essa palavra e pôs-se pensar qual seria o significado da saudação. O anjo, porém, acrescentou: “Não temas, Maria! Encontraste graça junto de Deus.”

“É necessário pensar num aprofundamento do conhecimento da Imaculada.. O conhecimento das suas relações com Deus Pai, com Deus Filho, com Deus Espírito Santo, com toda a Santíssima Trindade, com Jesus Cristo, com os anjos e conosco homens, para que tal conhecimento torne-se sempre mais luminoso”. (SK 647)

L.1 A consagração à Imaculada está, antes de tudo, relacionada à Trindade.

Deus Pai, Deus Filho e Deus Espírito Santo são o fundamento e o fim da oferta da nossa vida a Maria. Ela, “Mãe do Filho de Deus, filha predileta do Pai e templo do Espírito Santo” (Constituição dogmática Lumen Gentium – LG, 53), nos foi dada como dom pela Trindade.
A consagração a Maria conduz ao encontro com a Trindade, para viver em profunda comunhão de amor com o Pai, o Filho e o Espírito Santo.

L.2 Das catequeses marianas do Papa João Paulo II

Desejo dirigir um olhar contemplativo a Maria, assim como é descrita nos Atos dos Apóstolos (cf. 1,13-14), nas origens da Igreja. Nesse quadro, sobressai a pessoa de Maria, a única que é citada com o nome próprio, além dos apóstolos: Ela representa um rosto da Igreja, diferente e complementar com relação àquele ministerial ou hierárquico.
(...) Desde o início Maria exerce o seu papel de mãe da Igreja: a sua ação favorece a aliança entre os apóstolos, que Lucas mostra unidos e muito distantes das disputas que antes aconteciam entre eles.
Maria exerce a sua maternidade em relação à comunidade dos primeiros cristãos, não só rezando a fim de obter para a Igreja os dons do Espírito Santo, necessários para a sua formação e o seu futuro, mas, além disso, educando os discípulos do Senhor à constante comunhão com Deus.
João Paulo II – 6 de setembro de 1995

ORAÇÃO FINAL

Ó São Maximiliano, escuta esta oração de louvor e de súplica que te dirigimos com confiante devoção. Honramos a santidade da tua vida, guiada por intrépida fé no mistério de Cristo, sustentada por uma firme esperança na potência da sua graça, animada de ardente caridade a Deus e ao próximo.
Concede-nos poder viver constantemente em fiel correspondência à dignidade humana e cristã.
Exaltamos a tua atividade apostólica, na qual te empenhaste com fervoroso zelo para educar o povo de Deus na fé em Cristo Senhor, e na veneração à Imaculada, Rainha do mundo e Mãe da Igreja, para o advento do Reino de Cristo entre os homens.
Admiramos o sacrifício heróico com o qual ofereceste a tua vida espontaneamente para salvar a vida de um irmão.
Concede-nos crer firmemente que a fé em Cristo Senhor é a única vitória que vence o mal, e de podermos operar com a coragem dos mártires para o triunfo da justiça, da caridade e da paz. Amém.

Pai Nosso...
Ave Maria...
Glória...
São  Maximiliano Maria kolbe.. Rogai por nós.
Salve Maria Imaculada.

Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém.

sábado, 4 de agosto de 2012

NOVENA A SÃO MAXIMILIANO (Primeiro dia)

PERCORRA O CAMINHO DA SANTIDADE
 
“São Maximiliano... um mestre, alguém que nos indicou a estrada”
 

Aproximando-nos de São Maximiliano Kolbe descobrimos que o seu desejo constante de santidade tem uma característica bem precisa: ser sempre mais perfeitamente da Imaculada para ser sempre mais perfeitamente de Deus! Este é o segredo que o conduziu ao seu objetivo, “ser santo e grande santo”, abrindo sempre mais as asas da sua vida rumo a plenitude do amor a Deus e aos irmãos. Tornou-se assim um verdadeiro profeta da civilização do amor, particularmente eloquente para o nosso tempo.

ORAÇÃO INICIAL

Ó São Maximiliano, seguidor fidelíssimo do Pobrezinho de Assis, que inflamado de amor a Deus transcorreste a vida na prática assídua das virtudes heróicas e nas obras santas do apostolado, volta o teu olhar a nós, teus devotos, que confiamos na tua intercessão.
Tu que, irradiado da luz da Virgem Imaculada, atrais-te inúmeras pessoas aos ideais de santidade, chamando-as em diversas formas de apostolado para o triunfo do bem e da dilatação do Reino de Deus, obtenha a nós a luz e força para operar o bem e atrair muitas pessoas ao amor de Cristo.
Tu que, na perfeita conformidade ao divino Salvador, alcançaste alto grau de caridade para oferecer, em sublime sacrifício de amor, a tua vida para salvar a um irmão prisioneiro, suplique-nos do Senhor a graça que ardentemente te pedimos... (silêncio)
E, animados pelo mesmo ardor de caridade, possamos também nós com a fé e com obras testemunhar Cristo aos nossos irmãos, para alcançar contigo a beatificante possessão de Deus na luz da glória. Amém

NA ESCOLA DA PALAVRA

D. Estamos reunidos para agradecer ao Senhor e a Virgem Imaculada pelo dom da vida e da santidade de São Maximiliano Kolbe. Com ele queremos aprender a ser reflexo do amor de Deus para testemunhar aos homens de hoje a caridade e a verdade do Evangelho.

Evangelho de João 19,27:

“Perto da Cruz de Jesus, permaneciam de pé sua mãe, a irmã de sua mãe, Maria, mulher de Cleófas, e Maria Madalena. Jesus, então, vendo sua mãe e, perto dela, o discípulo a quem amava, disse à sua mãe:” Mulher, eis o teu filho!” Depois disse ao discípulo: “Eis a tua mãe!”.

“Oferece-te inteiramente a Ela, que é a nossa Mãezinha celeste, e desse modo podereis superar facilmente todas as dificuldades e te tornarás santo, um grande santo” (SK 21).

L. 1  A consagração a Nossa Senhora tem um sólido fundamento bíblico. Surge, de fato, do testamento de Cristo crucificado: “Mulher, eis aí teu filho! Filho, eis aí tua mãe!” (cf. Jo 19,26-27) e encontra confirmação em outros trechos do novo testamento. A referência à escritura é muito importante, porque nela encontramos a explícita vontade de Cristo, o qual associa Maria à obra da salvação atribuindo-lhe uma maternidade espiritual e universal.
Nós nos consagramos a Maria porque Cristo no-la deixou como mãe. A cada um de nós, Cristo, desde o batismo, repete: “Eis tua mãe”. Resta-nos somente cumprir o gesto do “discípulo amado”: “A recebeu em sua casa” (cf. Jo 19,27).

L.2 Das catequeses marianas do Papa João Paulo II:

Na Igreja nascente Maria é lembrada com o título de Mãe de Jesus. (...) Aos olhos dos discípulos, reunidos depois da ascensão, o título de Mãe de Jesus assume completamente o seu significado. Maria é para eles uma pessoa única em seu gênero: recebeu a graça singular de gerar o Salvador da humanidade, viveu por longo tempo próxima a Ele e no Calvário foi chamada pelo crucificado a exercer uma “nova maternidade” em relação ao discípulo predileto e, através dele, de toda a Igreja. (...) De modo particular, com este título os cristãos querem afirmar que não é possível referir-se à origem de Jesus, sem reconhecer o papel da mulher que o gerou no Espírito segundo a natureza humana. A sua função materna interessa também ao nascimento e desenvolvimento da Igreja. Recordando o lugar de Maria na vida de Jesus, os fiéis descobrem, todos os dias, a eficaz presença também no próprio itinerário espiritual.
João Paulo II – 13 de setembro de 1995

ORAÇÃO FINAL

Ó São Maximiliano, escuta esta oração de louvor e de súplica que te dirigimos com confiante devoção. Honramos a santidade da tua vida, guiada por intrépida fé no mistério de Cristo, sustentada por uma firme esperança na potência da sua graça, animada de ardente caridade a Deus e ao próximo.
Concede-nos poder viver constantemente em fiel correspondência à dignidade humana e cristã.
Exaltamos a tua atividade apostólica, na qual te empenhaste com fervoroso zelo para educar o povo de Deus na fé em Cristo Senhor, e na veneração à Imaculada, Rainha do mundo e Mãe da Igreja, para o advento do Reino de Cristo entre os homens.
Admiramos o sacrifício heróico com o qual ofereceste a tua vida espontaneamente para salvar a vida de um irmão.
Concede-nos crer firmemente que a fé em Cristo Senhor é a única vitória que vence o mal, e de podermos operar com a coragem dos mártires para o triunfo da justiça, da caridade e da paz. Amém.

Pai Nosso...
Ave Maria...
Glória...
São  Maximiliano Maria kolbe... Rogai por nós.
Salve Maria Imaculada.

Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém.