segunda-feira, 31 de março de 2014

Quaresma com Padre Faccenda (Terça-feira da quarta semana)

"Deus bom e fiel,
dai-me a graça de crescer em liberdade e fé,
para que a Luz de Cristo brilhe cada vez mais
em mim e através de meu testemunho do amor
e serviço." (EE na vida cotidiana - CEI)

Passos para a oração...

1. Invocação ao Espírito Santo

Ó Espírito Santo, dai-me um coração grande, aberto à vossa silenciosa e forte palavra inspiradora. Um coração desejoso de se tornar semelhante ao coração do Senhor Jesus, para amar a todos, servir a todos, sofrer por todos. Um coração cuja felicidade é palpitar com o coração de Cristo e cumprir com humildade e fidelidade à vontade divina. Amém.

2. Reflexão

"Se não existe humildade, o nosso edifício espiritual desaba." (Padre Faccenda)

3. Oração pessoal

Converso com Deus...

4. Prece a Virgem Maria

Ó Virgem Maria, dai-me um coração disponível como o teu e ajudai-me a escutar a voz de Deus, guardando em meu coração a Sua Palavra e praticando na minha vida a Sua vontade. Amém.

Rosana de Jesus Coelho
Missionária da Imaculada-Padre Kolbe

Para ajudar na meditação:


domingo, 30 de março de 2014

Quaresma com Padre Faccenda (Segunda-feira da quarta semana)


Passos para a oração...

1. Invocação ao Espírito Santo

Ó Espírito Santo, dai-me um coração grande, aberto à vossa silenciosa e forte palavra inspiradora. Um coração desejoso de se tornar semelhante ao coração do Senhor Jesus, para amar a todos, servir a todos, sofrer por todos. Um coração cuja felicidade é palpitar com o coração de Cristo e cumprir com humildade e fidelidade à vontade divina. Amém.

2. Reflexão

"Falamos da construção interior, de uma vida de santidade que seja útil a ti e aos outros." (Padre Faccenda)

3. Oração pessoal

Converso com Deus...

4. Prece a Virgem Maria

Ó Virgem Maria, dai-me um coração disponível como o teu e ajudai-me a escutar a voz de Deus, guardando em meu coração a Sua Palavra e praticando na minha vida a Sua vontade. Amém.

Rosana de Jesus Coelho
Missionária da Imaculada-Padre Kolbe

Para ajudar na meditação:


sexta-feira, 28 de março de 2014

Quaresma com Padre Faccenda (Sábado da terceira semana)

"Faço silêncio interior e exterior. Repito lenta e suavemente, tomando consciência de que estou na presença do Senhor." (EE na vida cotidiana - CEI)

Passos para a oração...

1. Invocação ao Espírito Santo

Ó Espírito Santo, dai-me um coração grande, aberto à vossa silenciosa e forte palavra inspiradora. Um coração desejoso de se tornar semelhante ao coração do Senhor Jesus, para amar a todos, servir a todos, sofrer por todos. Um coração cuja felicidade é palpitar com o coração de Cristo e cumprir com humildade e fidelidade à vontade divina. Amém.

2. Reflexão

"Quanto mais profunda e constante for a nossa relação com Deus: uma relação de amizade respeitosa e vital, mais eficaz será a nossa oração." (Padre Faccenda)

3. Oração pessoal

Converso com Deus...

4. Prece a Virgem Maria

Ó Virgem Maria, dai-me um coração disponível como o teu e ajudai-me a escutar a voz de Deus, guardando em meu coração a Sua Palavra e praticando na minha vida a Sua vontade. Amém.

Rosana de Jesus Coelho
Missionária da Imaculada-Padre Kolbe

Para ajudar na meditação:


quinta-feira, 27 de março de 2014

Quaresma com Padre Faccenda (Sexta-feira da terceira semana)


 "A atitude misericordiosa aproxima o ser humano do Coração de Deus que, acima de todas as nossas sombras e misérias, se dispõe a nos acolher, em qualquer nova situação." (EE na vida cotidiana - CEI)


Passos para a oração...

1. Invocação ao Espírito Santo

Ó Espírito Santo, dai-me um coração grande, aberto à vossa silenciosa e forte palavra inspiradora. Um coração desejoso de se tornar semelhante ao coração do Senhor Jesus, para amar a todos, servir a todos, sofrer por todos. Um coração cuja felicidade é palpitar com o coração de Cristo e cumprir com humildade e fidelidade à vontade divina. Amém.

2. Reflexão

"Deus escuta constantemente as nossas orações." (Padre Faccenda)

3. Oração pessoal

Converso com Deus...

4. Prece a Virgem Maria

Ó Virgem Maria, dai-me um coração disponível como o teu e ajudai-me a escutar a voz de Deus, guardando em meu coração a Sua Palavra e praticando na minha vida a Sua vontade. Amém.

Rosana de Jesus Coelho
Missionária da Imaculada-Padre Kolbe

Para ajudar na meditação:


quarta-feira, 26 de março de 2014

Quaresma com Padre Faccenda (Quinta-feira da terceira semana)

"Senhor,
concede-me ânimo e
generosidade para fazer-me
presente na Tua presença: dá-me também um coração sensível
e agradecido, cada vez mais alargado pela força do Teu amor,
capaz de acolher a vida verdadeira
e conhecer os enganos que me impedem de fazer o bem,
para defender-me deles e crescer na liberdade de filhos de Deus."
(EE na vida cotidiana - CEI)

Passos para a oração...

1. Invocação ao Espírito Santo

Ó Espírito Santo, dai-me um coração grande, aberto à vossa silenciosa e forte palavra inspiradora. Um coração desejoso de se tornar semelhante ao coração do Senhor Jesus, para amar a todos, servir a todos, sofrer por todos. Um coração cuja felicidade é palpitar com o coração de Cristo e cumprir com humildade e fidelidade à vontade divina. Amém.

2. Reflexão

"Integrar a vontade de Jesus na opção fundamental da nossa vida." (Padre Faccenda)

3. Oração pessoal

Converso com Deus...

4. Prece a Virgem Maria

Ó Virgem Maria, dai-me um coração disponível como o teu e ajudai-me a escutar a voz de Deus, guardando em meu coração a Sua Palavra e praticando na minha vida a Sua vontade. Amém.

Rosana de Jesus Coelho
Missionária da Imaculada-Padre Kolbe

Para ajudar na meditação:


terça-feira, 25 de março de 2014

Quaresma com Padre Faccenda: Quarta-feira da terceira semana)

"Nesta caminhada quaresmal de muita oração de busca e de escuta, a Palavra de Deus vai se tornando próxima do coração." (EE na vida cotidiana - CEI)

Passos para a oração...

1. Invocação ao Espírito Santo

Ó Espírito Santo, dai-me um coração grande, aberto à vossa silenciosa e forte palavra inspiradora. Um coração desejoso de se tornar semelhante ao coração do Senhor Jesus, para amar a todos, servir a todos, sofrer por todos. Um coração cuja felicidade é palpitar com o coração de Cristo e cumprir com humildade e fidelidade à vontade divina. Amém.

2. Reflexão

"A oração é um meio com o qual se promove o bem nas almas." (Padre Faccenda)

3. Oração pessoal

Converso com Deus...

4. Prece a Virgem Maria

Ó Virgem Maria, dai-me um coração disponível como o teu e ajudai-me a escutar a voz de Deus, guardando em meu coração a Sua Palavra e praticando na minha vida a Sua vontade. Amém.

Rosana de Jesus Coelho
Missionária da Imaculada-Padre Kolbe

Para ajudar na meditação:


segunda-feira, 24 de março de 2014

Quaresma com Padre Faccenda (Terça-feira da terceira semana)

"É para a liberdade que Cristo nos libertou." (Gal 5,1) 

Passos para a oração...

1. Invocação ao Espírito Santo

Ó Espírito Santo, dai-me um coração grande, aberto à vossa silenciosa e forte palavra inspiradora. Um coração desejoso de se tornar semelhante ao coração do Senhor Jesus, para amar a todos, servir a todos, sofrer por todos. Um coração cuja felicidade é palpitar com o coração de Cristo e cumprir com humildade e fidelidade à vontade divina. Amém.

2. Reflexão

"A necessidade de uma vida sempre mais interior que constitui a medula de santidade." (Padre Faccenda)

3. Oração pessoal

Converso com Deus...

4. Prece a Virgem Maria

Ó Virgem Maria, dai-me um coração disponível como o teu e ajudai-me a escutar a voz de Deus, guardando em meu coração a Sua Palavra e praticando na minha vida a Sua vontade. Amém.

Rosana de Jesus Coelho
Missionária da Imaculada-Padre Kolbe

Para ajudar na meditação:


domingo, 23 de março de 2014

Quaresma com Padre Faccenda (Segunda-feira da terceira semana)


"O desejo
da liberdade nasce, portanto, da força do amor, do acontecimento e da ação pessoal do Senhor em nossas vidas, visitando-nos, diariamente,
de muitas e variadas formas."
(EE na vida cotidiana - CEI)



Passos para a oração...

1. Invocação ao Espírito Santo

Ó Espírito Santo, dai-me um coração grande, aberto à vossa silenciosa e forte palavra inspiradora. Um coração desejoso de se tornar semelhante ao coração do Senhor Jesus, para amar a todos, servir a todos, sofrer por todos. Um coração cuja felicidade é palpitar com o coração de Cristo e cumprir com humildade e fidelidade à vontade divina. Amém.

2. Reflexão

"'Eu sou a videira e vós os ramos.' Nesta maravilhosa e profunda afirmação de Jesus, podemos intuir o relacionamento vital que existe entre Deus e o homem." (Padre Faccenda)

3. Oração pessoal

Converso com Deus...

4. Prece a Virgem Maria

Ó Virgem Maria, dai-me um coração disponível como o teu e ajudai-me a escutar a voz de Deus, guardando em meu coração a Sua Palavra e praticando na minha vida a Sua vontade. Amém.

Rosana de Jesus Coelho
Missionária da Imaculada-Padre Kolbe

Para ajudar na meditação:


sábado, 22 de março de 2014

Quaresma com Padre Faccenda (Domingo da terceira semana)

Passos para a oração...

1. Invocação ao Espírito Santo

Ó Espírito Santo, dai-me um coração grande, aberto à vossa silenciosa e forte palavra inspiradora. Um coração desejoso de se tornar semelhante ao coração do Senhor Jesus, para amar a todos, servir a todos, sofrer por todos. Um coração cuja felicidade é palpitar com o coração de Cristo e cumprir com humildade e fidelidade à vontade divina. Amém.

2. Reflexão

"Só o amor é capaz de entender a cruz como escolha alegre e libertadora." (Padre Faccenda)

3. Oração pessoal

Converso com Deus...

4. Prece a Virgem Maria

Ó Virgem Maria, dai-me um coração disponível como o teu e ajudai-me a escutar a voz de Deus, guardando em meu coração a Sua Palavra e praticando na minha vida a Sua vontade. Amém.

Rosana de Jesus Coelho
Missionária da Imaculada-Padre Kolbe

Para ajudar na meditação:


Comentário do Evangelho Segundo São João 4,5-42

“Ora, devia passar por Samaria. Chegou, pois, a uma localidade da Samaria, chamada Sicar, junto das terras que Jacó dera a seu filho José. Ali havia o poço de Jacó. E Jesus, fatigado da viagem, sentou-se à beira do poço. Era por volta do meio-dia. Veio uma mulher da Samaria tirar água. Pediu-lhe Jesus: Dá-me de beber. (Pois os discípulos tinham ido à cidade comprar mantimentos.) Aquela samaritana lhe disse: Sendo tu judeu, como pedes de beber a mim, que sou samaritana!... (Pois os judeus não se comunicavam com os samaritanos.) Respondeu-lhe Jesus: Se conhecesses o dom de Deus, e quem é que te diz: Dá-me de beber, certamente lhe pedirias tu mesma e ele te daria uma água viva. A mulher lhe replicou: Senhor, não tens com que tirá-la, e o poço é fundo... donde tens, pois, essa água viva? És, porventura, maior do que o nosso pai Jacó, que nos deu este poço, do qual ele mesmo bebeu e também os seus filhos e os seus rebanhos? Respondeu-lhe Jesus: Todo aquele que beber desta água tornará a ter sede, mas o que beber da água que eu lhe der jamais terá sede. Mas a água que eu lhe der virá a ser nele fonte de água, que jorrará até a vida eterna. A mulher suplicou: Senhor, dá-me desta água, para eu já não ter sede nem vir aqui tirá-la! Disse-lhe Jesus: Vai, chama teu marido e volta cá. A mulher respondeu: Não tenho marido. Disse Jesus: Tens razão em dizer que não tens marido. Tiveste cinco maridos, e o que agora tens não é teu. Nisto disseste a verdade. Senhor, disse-lhe a mulher, vejo que és profeta!... Nossos pais adoraram neste monte, mas vós dizeis que é em Jerusalém que se deve adorar. Jesus respondeu: Mulher, acredita-me, vem a hora em que não adorareis o Pai, nem neste monte nem em Jerusalém. Vós adorais o que não conheceis, nós adoramos o que conhecemos, porque a salvação vem dos judeus. Mas vem a hora, e já chegou, em que os verdadeiros adoradores hão de adorar o Pai em espírito e verdade, e são esses adoradores que o Pai deseja. Deus é espírito, e os seus adoradores devem adorá-lo em espírito e verdade. Respondeu a mulher: Sei que deve vir o Messias (que se chama Cristo); quando, pois, vier, ele nos fará conhecer todas as coisas. Disse-lhe Jesus: Sou eu, quem fala contigo. Nisso seus discípulos chegaram e maravilharam-se de que estivesse falando com uma mulher. Ninguém, todavia, perguntou: Que perguntas? Ou: Que falas com ela? A mulher deixou o seu cântaro, foi à cidade e disse àqueles homens: Vinde e vede um homem que me contou tudo o que tenho feito. Não seria ele, porventura, o Cristo? Eles saíram da cidade e vieram ter com Jesus. Entretanto, os discípulos lhe pediam: Mestre, come. Mas ele lhes disse: Tenho um alimento para comer que vós não conheceis. Os discípulos perguntavam uns aos outros: Alguém lhe teria trazido de comer? Disse-lhes Jesus: Meu alimento é fazer a vontade daquele que me enviou e cumprir a sua obra. Não dizeis vós que ainda há quatro meses e vem a colheita? Eis que vos digo: levantai os vossos olhos e vede os campos, porque já estão brancos para a ceifa. O que ceifa recebe o salário e ajunta fruto para a vida eterna; assim o semeador e o ceifador juntamente se regozijarão. Porque eis que se pode dizer com toda verdade: Um é o que semeia outro é o que ceifa. Enviei-vos a ceifar onde não tendes trabalhado; outros trabalharam, e vós entrastes nos seus trabalhos. Muitos foram os samaritanos daquela cidade que creram nele por causa da palavra da mulher, que lhes declarara: Ele me disse tudo quanto tenho feito. Assim, quando os samaritanos foram ter com ele, pediram que ficasse com eles. Ele permaneceu ali dois dias. Ainda muitos outros creram nele por causa das suas palavras. E diziam à mulher: Já não é por causa da tua declaração que cremos, mas nós mesmos ouvimos e sabemos ser este verdadeiramente o Salvador do mundo.” (Jo 4,5-42)

Nesse evangelho de São João, vemos Jesus que dialoga com a Samaritana. Lindo diálogo de Jesus com uma mulher e além do mais samaritana. Por quê? Primeiro: porque ela era mulher (as mulheres nessa época “não tinha valor algum”), segundo: Jesus estava na terra  de Samaria, que era considerada pelos judeus uma terra heterodoxa (que ou quem se manifesta contrário à doutrina ortodoxa ou a uma opinião tradicional). Os judeus não tinham uma boa relação com os samaritanos eles os desprezavam. “No ano de 128 a.C. os judeus destruíram o templo samaritano do monte Garizim; mas também entre os anos 6 e 9 d.C. alguns samaritanos profanaram o templo de Jerusalém durante a festa da Páscoa.

Interessante aqui que Jesus queira passar por um lugar muito conflituoso, porém, com uma riqueza histórica muito grande. Aqui havia um terreno cedido por Jacó a seu filho José e onde foi enterrado. Também havia um manancial; era um poço profundo, dizem os arqueólogos que este poço era usado por volta do ano 1000 a.C. até 500 d.C.  Esse poço também nos recorda a passagem de Moisés quando caminhava com o povo no deserto que abriu um manancial na rocha.

Aqui vemos Jesus caminhando, caminhando debaixo daquele sol do meio-dia, acredito que estava muito cansado, então vê um poço e se senta perto.  E em seguida chega uma mulher samaritana, de nome desconhecido para pegar água daquele poço de Jacó. Imagino que ela nem sabia quem estava ali, que “aquele” seria quem saciaria toda a sua sede. Então Jesus pede água para a mulher: “Dá-me de beber!”. E interessante que dar água era sinal de hospitalidade. Também Jesus na cruz pediria água.  “Jesus pede um favor, mas está disposto a fazer-lhe outro muito maior: ‘Se conhecesses o dom de Deus (...) certamente lhe pedirias tu mesma e ele te daria uma água viva’”. Jesus convida a mulher samaritana a tomar da sua água, porque a sua água quem bebe dela jamais terá sede, ao contrário do poço de Jacó que não apaga definitivamente a sede. Então a mulher acredita em Jesus e pede para beber sempre dessa água.

“Jesus oferece tudo por nós, a fim de podermos viver bebendo da sua fonte. Ele satisfaz também um outro tipo de sede da samaritana: a sede de amor. Ela tivera seis maridos, mas nenhum  dele soube serenizar o seu desejo de amor. Jesus é o sétimo marido, o qual é capaz de amá-la verdadeiramente, porque possui um coração que se abre para ela, um coração do qual brota amor.” (A oração como Encontro - AnselmGrun)

“Dignaste, Deus  misericordioso e Senhor piedoso, chama-me a esta fonte, para que também eu, junto com todos os que tem sede de ti, possa beber a água viva  que de ti  mana, oh fonte viva. Que possa embriagar-me em tua inefável doçura sem cansar-me  nunca de ti e diga: Que doce é a fonte de água viva; sua água que brota para a vida  eterna que não se esgota jamais!” (São  Columbano, Instrução XII).

Maria do Socorro Domingos Ferreira
Missionária da Imaculada-Padre Kolbe

sexta-feira, 21 de março de 2014

Quaresma com Padre Faccenda (Sábado da segunda semana)


"Não há limites para o amor e para a prática da misericórdia.
Recordar o que o Senhor tem feito por nós e faz de nós continuamente ajuda-nos a também fazer o mesmo."
(EE na vida cotidiana - CEI)


Passos para a oração...

1. Invocação ao Espírito Santo

Ó Espírito Santo, dai-me um coração grande, aberto à vossa silenciosa e forte palavra inspiradora. Um coração desejoso de se tornar semelhante ao coração do Senhor Jesus, para amar a todos, servir a todos, sofrer por todos. Um coração cuja felicidade é palpitar com o coração de Cristo e cumprir com humildade e fidelidade à vontade divina. Amém.

2. Reflexão

"A alma encontra-se com Deus na sua plenitude na etapa de cada itinerário." (Padre Faccenda)

3. Oração pessoal

Converso com Deus...

4. Prece a Virgem Maria

Ó Virgem Maria, dai-me um coração disponível como o teu e ajudai-me a escutar a voz de Deus, guardando em meu coração a Sua Palavra e praticando na minha vida a Sua vontade. Amém.

Rosana de Jesus Coelho
Missionária da Imaculada-Padre Kolbe

Para ajudar na meditação:


quinta-feira, 20 de março de 2014

Quaresma com Padre Faccenda (Sexta-feira da segunda semana)

"A liberdade, como dom de Deus, pressupõe a superação de nossas inseguranças e medos. Ser livre para servir, ser livre para viver! Ser livre para amar!" (EE na vida cotidiana - CEI)

Passos para a oração...

1. Invocação ao Espírito Santo

Ó Espírito Santo, dai-me um coração grande, aberto à vossa silenciosa e forte palavra inspiradora. Um coração desejoso de se tornar semelhante ao coração do Senhor Jesus, para amar a todos, servir a todos, sofrer por todos. Um coração cuja felicidade é palpitar com o coração de Cristo e cumprir com humildade e fidelidade à vontade divina. Amém.

2. Reflexão

"A alma encontra-se com Deus na sua plenitude em cada expressão da atividade." (Padre Faccenda)

3. Oração pessoal

Converso com Deus...

4. Prece a Virgem Maria

Ó Virgem Maria, dai-me um coração disponível como o teu e ajudai-me a escutar a voz de Deus, guardando em meu coração a Sua Palavra e praticando na minha vida a Sua vontade. Amém.

Rosana de Jesus Coelho
Missionária da Imaculada-Padre Kolbe

Para ajudar na meditação:


quarta-feira, 19 de março de 2014

Quaresma com Padre Faccenda (Quinta-feira da segunda semana)

"Não há limites para o amor e para a prática da misericórdia. Recordar o que o Senhor tem feito para nós e faz de nós continuamente ajuda-nos a também fazer o mesmo." (EE na vida cotidiana - CEI)

Passos para a oração...

1. Invocação ao Espírito Santo

Ó Espírito Santo, dai-me um coração grande, aberto à vossa silenciosa e forte palavra inspiradora. Um coração desejoso de se tornar semelhante ao coração do Senhor Jesus, para amar a todos, servir a todos, sofrer por todos. Um coração cuja felicidade é palpitar com o coração de Cristo e cumprir com humildade e fidelidade à vontade divina. Amém.

2. Reflexão

"A alma encontra-se com Deus na sua plenitude em cada momento do apostolado." (Padre Faccenda)

3. Oração pessoal

Converso com Deus...

4. Prece a Virgem Maria

Ó Virgem Maria, dai-me um coração disponível como o teu e ajudai-me a escutar a voz de Deus, guardando em meu coração a Sua Palavra e praticando na minha vida a Sua vontade. Amém.

Rosana de Jesus Coelho
Missionária da Imaculada-Padre Kolbe

Para ajudar na meditação:


terça-feira, 18 de março de 2014

Quaresma com Padre Faccenda (Quarta-feira de senunda semana)

"É na oração que o ser humano exprime aquilo que é mais íntimo e mostra  como ele relaciona-se com os outros e com Deus." (EE na vida cotidiana - CEI)

Passos para a oração...

1. Invocação ao Espírito Santo

Ó Espírito Santo, dai-me um coração grande, aberto à vossa silenciosa e forte palavra inspiradora. Um coração desejoso de se tornar semelhante ao coração do Senhor Jesus, para amar a todos, servir a todos, sofrer por todos. Um coração cuja felicidade é palpitar com o coração de Cristo e cumprir com humildade e fidelidade à vontade divina. Amém.

2. Reflexão

"A alma encontra-se com Deus na sua plenitude em cada instante da vida." (Padre Faccenda)

3. Oração pessoal

Converso com Deus...

4. Prece a Virgem Maria

Ó Virgem Maria, dai-me um coração disponível como o teu e ajudai-me a escutar a voz de Deus, guardando em meu coração a Sua Palavra e praticando na minha vida a Sua vontade. Amém.

Rosana de Jesus Coelho
Missionária da Imaculada-Padre Kolbe

Para ajudar na meditação:


 

segunda-feira, 17 de março de 2014

Quaresma com Padre Faccenda (Terça-feira da segunda semana)

"Pacifique-se através do silêncio exterior e interior." (EE na vida cotidiana - CEI)

Passos para a oração...

1. Invocação ao Espírito Santo

Ó Espírito Santo, dai-me um coração grande, aberto à vossa silenciosa e forte palavra inspiradora. Um coração desejoso de se tornar semelhante ao coração do Senhor Jesus, para amar a todos, servir a todos, sofrer por todos. Um coração cuja felicidade é palpitar com o coração de Cristo e cumprir com humildade e fidelidade à vontade divina. Amém.

2. Reflexão

"Recorda: onde habita Deus? Deus habita em você. Abre a porta para Ele e Ele habitará com você, comerá com você, viverá com você e te fará feliz." (Padre Faccenda)

3. Oração pessoal

Converso com Deus...

4. Prece a Virgem Maria
Ó Virgem Maria, dai-me um coração disponível como o teu e ajudai-me a escutar a voz de Deus, guardando em meu coração a Sua Palavra e praticando na minha vida a Sua vontade. Amém.

Rosana de Jesus Coelho
Missionária da Imaculada-Padre Kolbe

Para ajudar na meditação:


 

Igreja aprova Diretório de Comunicação no Brasil

Após mais de 13 anos de pesquisas, análises e práticas de comunicação vivenciadas nas dioceses, paróquias e comunidades, o Conselho Permanente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) aprovou na quinta-feira, 13, o Diretório de Comunicação para a Igreja no Brasil. O documento tem como principal objetivo motivar a Igreja para a reflexão sobre os aspectos da comunicação e sua importância na vida da comunidade eclesial.

O Diretório será apresentado no  4º Encontro Nacional da Pastoral da Comunicação e  2º Seminário Nacional de Jovens Comunicadores, que serão realizados de 24 a 27 de julho, em Aparecida (SP).

Em coletiva de imprensa, o arcebispo de Aparecida (SP) e presidente da CNBB, cardeal Raymundo Damasceno Assis, falou sobre a aprovação do Diretório de Comunicação. Segundo o cardeal, o documento “quer contribuir para fomentar a implementação” da Cultura da Comunicação na Igreja do Brasil.

“O Diretório de Comunicação sempre foi um desejo da Conferência e sua produção é fruto dos trabalhos da Comissão Episcopal Pastoral para a Comunicação”, destacou dom Damasceno.

O Diretório contou a colaboração efetiva de pesquisadores, profissionais, agentes da Pastoral da Comunicação. O arcebispo de Campo Grande (MS) e presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Comunicação da CNBB, dom Dimas Lara Barbosa, ressalta que o Diretório é resultado da abertura da Igreja no Brasil para a comunicação.

Dom Dimas recorda que a proposta da elaboração de um Diretório para a Igreja no Brasil nasceu durante a gestão do cardeal Orani João Tempesta, arcebispo de Rio de Janeiro, que esteve como presidente da então Comissão para a Educação, Cultura e Comunicação da CNBB.

Etapas

Antes da aprovação final, o texto do Diretório foi publicado em forma de Estudo da CNBB (nº 101),  “A comunicação na vida e missão da Igreja no Brasil”. A nova redação possui caraterísticas próprias da realidade da comunicação pastoral da Igreja no Brasil.

O Diretório foi apresentado aos bispos na 51ª Assembleia Geral, ocorrida em 2013, e recebeu emendas e sugestões. A decisão final para aprovação ficou sob a responsabilidade do Conselho Permanente da CNBB.

“Agora a Igreja tem um documento oficial produzido a partir das sugestões da Assembleia dos Bispos de 2013 e, posteriormente, com as correções indicadas pelo Conselho Permanente que aprovou o texto final”, explica dom Dimas.

Conteúdo

O Diretório é composto por dez capítulos, divididos em artigos que buscam apresentar diferentes aspectos do fenômeno comunicativo, são eles: 1- Comunicação e Igreja em um mundo em mudanças; 2- Teologia da Comunicação; 3- Comunicação e vivência da fé; 4- Ética e comunicação; 5- O protagonismo dos leigos na comunicação evangelizadora; 6- Igreja e mídia; 7- Igreja e mídias digitais; 8- Políticas de Comunicação; 9- Educar para a comunicação; 10- Comunicação na Igreja: atuação da Pascom. O Diretório traz ainda um glossário de comunicação que contempla termos próprios da área, relacionados à vida eclesial e da Igreja.

Dom Dimas destaca que a linguagem utilizada no Diretório quer atingir a diferentes realidades pastorais, com uma proposta de estudo e reflexão. “O texto busca refletir um pouco sobre a comunicação da Igreja no Brasil, ao mesmo tempo indicando um futuro promissor nesta área”, disse.

Na avaliação de dom Dimas, o Diretório já vem produzindo frutos nas dioceses e regionais da CNBB. “Durante os encontros diocesanos de comunicação, os agentes elaboram um Plano de Pastoral para sua realidade, conforme as orientações e motivações do Diretório”, comenta. Ainda de acordo com o bispo, o crescimento do Mutirões de Comunicação, a organização da Pastoral da Comunicação e o Encontro Nacional são resultados do trabalho da comunicação na Igreja.

Resultados

Os assessores da Comissão, Ir. Élide Fogolari e padre Clóvis de Melo Andrade, que coordenam também a Rede de Informática na Igreja do Brasil (RIIBRA), têm ministrado cursos por todo o país, com a proposta de animar a Pastoral da Comunicação e a RIIBRA à luz do Diretório.

“Cabe às dioceses e paróquias, assim como às diferentes pastorais, movimentos e mídias católicas, estudar o Diretório, confrontando suas proposições com a realidade local e definir seus planejamentos e ações”, destaca Ir. Élide Fogolari.

Padre Clóvis revela que entre as novidades do Diretório estão as diferentes reflexões sobre os aspectos da comunicação, que incluem as mídias digitais. Ao final de cada capítulo são propostas pistas de ações com sugestões de atividades para formação, articulação, produção e espiritualidade da Pastoral da Comunicação. “A presença da Igreja no ambiente digital é incentivada por ser um lugar de testemunho e anúncio do Evangelho”, comenta padre Clóvis.

Fonte: SECOM

domingo, 16 de março de 2014

Quaresma com Padre Faccenda (Segunda-feira da segunda semana)

"A atitude misericordiosa aproxima o ser humano do Coração de Deus que, acima de todas as nossas sombras e misérias, se dispões a nos acolher, em qualquer nova situação. Isso é da essência mesma de Deus, que é Amor (1 Jo 4,16b)." (EE na vida cotidiana - CEI)


Passos para a oração...

1. Invocação ao Espírito Santo

Ó Espírito Santo, dai-me um coração grande, aberto à vossa silenciosa e forte palavra inspiradora. Um coração desejoso de se tornar semelhante ao coração do Senhor Jesus, para amar a todos, servir a todos, sofrer por todos. Um coração cuja felicidade é palpitar com o coração de Cristo e cumprir com humildade e fidelidade à vontade divina. Amém.

2. Reflexão

"Alimentar a vida interior com uma sólida piedade e com a meditação." (Padre Faccenda)

3. Oração pessoal

Converso com Deus...

4. Prece a Virgem Maria

Ó Virgem Maria, dai-me um coração disponível como o teu e ajudai-me a escutar a voz de Deus, guardando em meu coração a Sua Palavra e praticando na minha vida a Sua vontade. Amém.

Rosana de Jesus Coelho
Missionária da Imaculada-Padre Kolbe

Para ajudar na meditação:



sábado, 15 de março de 2014

Comentário do Evangelho Segundo São Mateus 17, 1-9

"Seis dias depois, Jesus tomou consigo Pedro, Tiago e João, seu irmão, e conduziu-os à parte a uma alta montanha. Lá se transfigurou na presença deles: seu rosto brilhou como o sol, suas vestes tornaram-se resplandecentes de brancura. E eis que apareceram Moisés e Elias conversando com ele. Pedro tomou então a palavra e disse-lhe: Senhor, é bom estarmos aqui. Se queres, farei aqui três tendas: uma para ti, uma para Moisés e outra para Elias. Falava ele ainda, quando veio uma nuvem luminosa e os envolveu. E daquela nuvem fez-se ouvir uma voz que dizia: Eis o meu Filho muito amado, em quem pus toda minha afeição; ouvi-o. Ouvindo esta voz, os discípulos caíram com a face por terra e tiveram medo. Mas Jesus aproximou-se deles e tocou-os, dizendo: Levantai-vos e não temais. Eles levantaram os olhos e não viram mais ninguém, senão unicamente Jesus. E, quando desciam, Jesus lhes fez esta proibição: Não conteis a ninguém o que vistes, até que o Filho do Homem ressuscite dos mortos." (M 17, 1-9.)

Vamos pedir a assistência ao Espírito Santo para que nos ilumine ao ler essa passagem da Escritura. Que não seja somente palavras e sim Palavra que nos dê vida e nos ajude no seguimento de Jesus que está ao caminho de Jerusalém.

A "transfiguração de Jesus" encontramos também nos evangelhos de Marcos 9,2-10 e Lucas 9, 28-36. Porém, é próprio de Mateus a frase: “Em quem me comprazo”. Essa frase faz referência a Isaías 42,1. Também os versículos 6-7 são próprios de Mateus.

O texto de Mateus começa com uma indicação cronológica: “Seis dias depois”. Que precede com a profissão de fé de Pedro, com o primeiro anúncio claro por parte de Jesus de sua paixão e para ser discípulos é preciso segui-lo pelo caminho da cruz. “Seis dias depois” o Mestre leva três dos seus discípulos para uma montanha e ali antecipa  a experiência da sua gloria prometida depois da sua morte.
Jesus mostra aos seus discípulos em um lugar de solidão seu aspecto divino (v.2). Aqui Mateus insiste particularmente na luz e no fulgor que emana dele, invocando a figura do Filho do homem de Daniel 10 e a narração da manifestação de YHWH no monte Sinai (Ex 34, 29-33).

Aqui vemos alusões das teofanias do Antigo Testamento ( Ex 19, 16; 24,3; 1Re19,11), no qual indica que está passando algo muito importante: Em Jesus a antiga aliança vai se transformando em nova e eterna aliança. Moisés e Elias, que representam a Lei e os profetas. Jesus é aquele que veio dar pleno cumprimento à Lei e aos Profetas.  "Jesus é para nós aquele que trouxe a nova Lei e cumpre as profecias." De fato, é uma característica de Mateus no seu evangelho mostra que Jesus cumpre as profecias.

Depois vemos que os discípulos antes dessa manifestação extraordinária da glória de Jesus, apodera-se um grande temor neles. Jesus os reanima com seu gesto e sua palavra (v.7) como o Filho do homem da visão de Daniel. Volta-se mais desconcertante e incompreensível aos discípulos o que Jesus já havia dito: o Filho do homem-figura  gloriosa esperada como conclusão da história deverá  enfrentar a morte e a ressurreição.

"Jesus tu és o Senhor: há mostrado teu rosto radiante de luz aos teus discípulos, pouco antes da sua paixão e agora temerosos  antes da glória que irradia. Sempre nos supera teus mistérios. Tu és Senhor: como filho predileto do Pai, hás percorrido primeiro e agora nos abres para nós o caminho da obediência de fé, que nos parece difícil, porem, contigo  o caminho fica mais seguro e assim desaparece o medo e a fadiga."

Maria do Socorro Domingos Ferreira
Missionária da Imaculada-Padre Kolbe

Quaresma com Padre Faccenda (Domingo da segunda semana)

"No desenrolar desta semana, proponha-se estar ainda  atento(a) à Palavra que lhe será proposta. Que, em cada novo dia, você coloque no coração, a fim de ver e perceber o que o Senhor quer lhe dizer. Será um olhar de profunda Fé a inspirar atitudes pessoais de conversão." (EE na vida cotidiana - CEI)


Passos para a oração...

1. Invocação ao Espírito Santo

Ó Espírito Santo, dai-me um coração grande, aberto à vossa silenciosa e forte palavra inspiradora. Um coração desejoso de se tornar semelhante ao coração do Senhor Jesus, para amar a todos, servir a todos, sofrer por todos. Um coração cuja felicidade é palpitar com o coração de Cristo e cumprir com humildade e fidelidade à vontade divina. Amém.

2. Reflexão

"Caminhar unido a Deus, impregnar-se Dele." (Padre Faccenda)

3. Oração pessoal

Converso com Deus...

4. Prece a Virgem Maria

Ó Virgem Maria, dai-me um coração disponível como o teu e ajudai-me a escutar a voz de Deus, guardando em meu coração a Sua Palavra e praticando na minha vida a Sua vontade. Amém.

Rosana de Jesus Coelho
Missionária da Imaculada-Padre Kolbe

Para ajudar na meditação:


sexta-feira, 14 de março de 2014

Quaresma com Padre Faccenda (Sábado da primeira semana)

"Faça uma oração de oferecimento na qual todos os pensamentos, palavras, sentimentos e ações sejam colocadas nas mãos de Deus para que Ele os transforme." (EE va vida cotidiana - CEI)

Passos para a oração...

1. Invocação ao Espírito Santo

Ó Espírito Santo, dai-me um coração grande, aberto à vossa silenciosa e forte palavra inspiradora. Um coração desejoso de se tornar semelhante ao coração do Senhor Jesus, para amar a todos, servir a todos, sofrer por todos. Um coração cuja felicidade é palpitar com o coração de Cristo e cumprir com humildade e fidelidade à vontade divina. Amém.

2. Reflexão

"Deus se manifesta no íntimo, na vida interior, na profunda meditação." (Padre Faccenda)

3. Oração pessoal

Converso com Deus...

4. Prece a Virgem Maria

Ó Virgem Maria, dai-me um coração disponível como o teu e ajudai-me a escutar a voz de Deus, guardando em meu coração a Sua Palavra e praticando na minha vida a Sua vontade. Amém.

Rosana de Jesus Coelho
Missionária da Imaculada-Padre Kolbe

Para ajudar na meditação:


 

quinta-feira, 13 de março de 2014

Quaresma com Padre Faccenda (Sexta-feira da primeira semana)


"Confie ao Senhor o seu amanhã, desejando vivamente assumi-lo com olhar e coração renovados.
Trata-se de um novo dom a ser vivido intensamente na alegria e esperança." (EE na vida cotidiana - CEI)



Passos para a oração...

1. Invocação ao Espírito Santo

Ó Espírito Santo, dai-me um coração grande, aberto à vossa silenciosa e forte palavra inspiradora. Um coração desejoso de se tornar semelhante ao coração do Senhor Jesus, para amar a todos, servir a todos, sofrer por todos. Um coração cuja felicidade é palpitar com o coração de Cristo e cumprir com humildade e fidelidade à vontade divina. Amém.

2. Reflexão

"Em todo momento do trabalho é possível elevar-se a Deus." (Padre Faccenda)

3. Oração pessoal

Converso com Deus...

4. Prece a Virgem Maria

Ó Virgem Maria, dai-me um coração disponível como o teu e ajudai-me a escutar a voz de Deus, guardando em meu coração a Sua Palavra e praticando na minha vida a Sua vontade. Amém.

Rosana de Jesus Coelho
Missionária da Imaculada-Padre Kolbe

Para ajudar na meditação:


 


quarta-feira, 12 de março de 2014

25 de março: Anúncio e acolhida

“O anjo Gabriel foi enviado por Deus a uma virgem... chamada Maria. Entrando o anjo, disse-lhe: “Alegra-te cheia de graça, o Senhor é contigo... Eis que conceberás e darás à luz um filho, e lhe porás o nome de Jesus... Eis aqui a serva do Senhor, faça-se em mim segundo a tua palavra...”. (Lc 1, 26-38)
O Anjo é enviado por Deus à Maria para que ela conheça o projeto que Deus tem para ela e para pedir-lhe o seu consentimento. Deus tem para cada um de nós um desígnio de amor e não o realiza sem nós. Busca a nossa adesão livre.

Maria é definida “virgem”. A virgindade de Maria indica que tudo que nasce dela é puro dom. A virgindade é renuncia a agir. Em Maria não há nenhuma ação humana, somente Deus age.

A virgindade, portanto, indica a atitude mais elevada do homem, que é a passividade e a pobreza total de quem renuncia ao agir próprio para deixar espaço para Deus. Só o nada pode conceber totalmente aquele que é tudo. Maria por sua virgindade tornou-se capaz de conceber Deus.

“Entrando o anjo, disse-lhe: ‘Alegra-te, predileta por Deus”. A primeira palavra que Deus diz a Maria e a cada um de nós é: “Alegra-te! Exulte!”. A primeira palavra do Evangelho é uma palavra de alegria. Antes de chamar para uma missão Deus convida à alegria: “Exulte!” Deus nos ordena a nos alegrarmos. É um convite que recebemos a cada manhã.

“O Senhor está contigo.” Acontece com Maria um fato inédito, impensável. Aquele Deus que até este momento foi o Deus de Abraão, de Isaac e de Jacó. O Deus dos Pais. Um Deus do qual os outros fizeram experiência pessoal, agora é o Deus conosco. Um Deus para ser acolhido e para ser doado, para se fazer nascer, crescer no coração dos homens. É um Jesus vivo que age na história e na vida das pessoas. A essência da vida é encontrar Deus. Quando nos sentimos dentro dessa presença e esta presença é um Jesus vivo dentro de nós, então há espaço para a alegria: “alegra-te!”.

“Eis aqui a serva do Senhor”: este é o terceiro nome de Maria que aparece no relato. O narrador a chamou de “Maria”, o anjo de “cheia de graça”, Maria chama a si mesma de “serva”. Servir é um modo novo de viver. Não mais voltado para si mesmo, fechado; mas aberto, voltado para Deus. A lógica do possuir é substituída pela lógica do dom. “Eis aqui a serva do Senhor”: palavras pronunciadas sem reserva. Maria entra no plano da salvação com os sentimentos de disponibilidade total.

“Faça-se” é uma forma optativa do verbo grego-ghenoito e significa: não desejo outra coisa a não ser fazer a vontade de Deus e fazê-la com alegria. O verbo, portanto, indica um desejo intenso. Maria pronuncia um sim com todo o coração.
“em mim”. Maria não faz apenas um gesto ou cumpre uma tarefa. Coloca em jogo a sua vida. Coloca em jogo a sua pessoa. Nós fazemos tantas coisas. Caminhamos curvados sob o peso de tantos serviços a serem feitos ou já feitos. E nos lamentamos! Maria nos indica que o caminho da existência não é tanto o fazer, ma é um colocar em jogo toda a vida. É um doar-se.

“Faça-se em mim”: Na escola da Mãe do Senhor estas palavras são vividas por padre Kolbe até a oferta da sua vida. Sua mãe, Maria Kolbe, em uma carta escrita em 12 de outubro de 1941 e endereçada ao convento de Nispokananow, fala da aparição de Nossa Senhora ao filho, mas, deixemos que seja ele mesmo a nos contar: “... Apareceu para mim Nossa Senhora, com duas coroas: uma branca e outra vermelha. Olhava-me com afeto e perguntou-me se eu queria as duas coroas... A branca significava pureza e a vermelha, martírio. Respondi que as queria... Então Nossa Senhora me olhou docemente e desapareceu”. Desta aparição Maria Kolbe falará também no processo de beatificação do filho. Prestemos atenção a estas palavras: “Nossa Senhora perguntou-me se eu queria as duas coroas”.

Ao padre Kolbe não é pedido para escolher “qual você quer?”, como muitas vezes ouvimos falar, mas: “Você as quer?”. Não é ele, que em sua generosidade escolhe a coroa branca e a coroa vermelha. Não lhe é pedido para escolher: “Qual você quer?”. É pedido para que ele acolha: “Você as quer?”. Todas as duas. Isto para mim é de enorme importância, significa que a vocação de padre Kolbe nasce como uma vocação à totalidade. Uma entrega acolhida com o entusiasmo de uma criança e vivida com responsabilidade e gratuidade durante toda a sua existência. Uma entrega à qual permanecerá fiel até o eis-me aqui da oferta final. A totalidade do dom de si é também a característica base da Associação M.I. por ele fundada, juntamente com a missionariedade. Isto deduzimos de um escrito seu: “... Nos doamos à Imaculada cada vez mais, ilimitadamente, incondicionalmente, irrevogavelmente e desejamos inculcar esta doação de si nos corações de todos...”. Padre Kolbe, neste escrito, usa o verbo oddawac’ sie’, que significa doar-se: fazer da própria vida um dom e dom total. Não se trata de dar algo de si, mas tudo. Quem não dá tudo, não dá nada. Padre Kolbe quis pertencer a Ela, a Imaculada, para ser todo de Jesus. Acolher Maria não para aprender as coisas que Jesus nos ensinou, mas para aprender Jesus. Maria nos é doada para conhecer Jesus, para entrar em uma relação verdadeira, bela e profunda com o Senhor Jesus.

Totalidade e missionariedade bem expressadas por padre Kolbe também na oração:
Concede-me, ó Imaculada, louvar-te com o meu empenho e sacrifício pessoal.
Concede-me viver, trabalhar, sofrer, consumir-me e morrer por Ti, somente por Ti.
Concede-me conduzir a Ti o mundo inteiro!

Angela Esposito
Missionária da Imaculada-Padre Kolbe

Polônia
 
Para ajudar na leitura:

 

Entregue a São Maximiliano Kolbe os seus desejos, sonhos e esperanças:

As Missionárias da Imaculada-Padre Kolbe, da Polônia, recordarão todos os dias o seu pedido de oração e no dia 14 de cada mês, memória do martírio de Padre Kolbe, a levarão à cela no campo de Auschwitz, onde ele deu a vida no lugar de outro homem, pedindo para você a luminosa intercessão dele.

Saiba mais sobre o projeto "A Cela do Amor Sempre Aberta": http://www.kolbemission.org/flex/cm/pages/ServeBLOB.php/L/PT/IDPagina/6956
 

Quaresma com Padre Faccenda (Quinta-feira da primeira semana)

Papa Francisco e a Cúria Romana nos exercícios espirituais, em 2014.
"Fica Senhor comigo, pois preciso da tua presença para não te esquecer.
Sabes quão facilmente posso te abandonar.
Fica Senhor comigo, porque sou fraco e preciso da tua força para não cair.
Fica Senhor comigo, porque és minha vida, e sem ti perco o fervor.
Fica Senhor comigo, porque és minha luz, e sem ti reina a escuridão.
Fica Senhor comigo, para me mostrar tua vontade.
Fica Senhor comigo, para que ouça tua voz e te siga.
Fica Senhor comigo, pois desejo amar-te e permanecer sempre em tua companhia.
Fica Senhor comigo, se queres que te seja fiel.
Fica Senhor comigo, porque, por mais pobre que seja minha alma, quero que se transforme num lugar de consolação para ti, um ninho de amor." (Padre Pio)

Passos para a oração...

1. Invocação ao Espírito Santo

Ó Espírito Santo, dai-me um coração grande, aberto à vossa silenciosa e forte palavra inspiradora. Um coração desejoso de se tornar semelhante ao coração do Senhor Jesus, para amar a todos, servir a todos, sofrer por todos. Um coração cuja felicidade é palpitar com o coração de Cristo e cumprir com humildade e fidelidade à vontade divina. Amém.

2. Reflexão

"Rezar com a oração litúrgica, comunitária e pessoal." (Padre Faccenda)

3. Oração pessoal

Converso com Deus...

4. Prece a Virgem Maria

Ó Virgem Maria, dai-me um coração disponível como o teu e ajudai-me a escutar a voz de Deus, guardando em meu coração a Sua Palavra e praticando na minha vida a Sua vontade. Amém.

Rosana de Jesus Coelho
Missionária da Imaculada-Padre Kolbe

Para ajudar na meditação:


terça-feira, 11 de março de 2014

Quaresma com Padre Faccenda (Quarta-feria da primeira semana)

  "Tome consciência que você não está só acolhendo a presença de Deus como amigo; invoque o Espírito Santo." (EE na vida cotidiana - CEI)

Passos para a oração...

1. Invocação ao Espírito Santo

Ó Espírito Santo, dai-me um coração grande, aberto à vossa silenciosa e forte palavra inspiradora. Um coração desejoso de se tornar semelhante ao coração do Senhor Jesus, para amar a todos, servir a todos, sofrer por todos. Um coração cuja felicidade é palpitar com o coração de Cristo e cumprir com humildade e fidelidade à vontade divina. Amém.



2. Reflexão

"O indivíduo é livre para rezar quando quiser, onde quiser e como quer." (Padre Faccenda)

3. Oração pessoal

Converso com Deus...

4. Prece a Virgem Maria

Ó Virgem Maria, dai-me um coração disponível como o teu e ajudai-me a escutar a voz de Deus, guardando em meu coração a Sua Palavra e praticando na minha vida a Sua vontade. Amém.

Rosana de Jesus Coelho
Missionária da Imaculada-Padre Kolbe

Para ajudar na meditação:


Pobres servos do Senhor estamos a serviço dos pobres

"Para que a Quaresma seja um tempo favorável para viver segundo um estilo de vida sóbrio e solidário, confiando na ajuda de Deus." (Intenções de março)

O Papa Francisco disse aos seminaristas, noviços e noviças provenientes de todo o mundo: “Mas eu vos digo, de verdade, me faz mal quando vejo um padre ou uma freira com um carro último tipo: isso não pode! Não pode! Vocês poderão  pensar assim: e agora, Padre, devemos andar de bicicleta? Bicicleta é bom! Monsenhor Alfred anda de bicicleta. Eu acredito que o carro seja necessário, porque é preciso fazer tantos trabalhos e para se locomover daqui para lá... mas, peguem um mais simples! E se você gosta daquele mais bonito, pense em quantas crianças morrem de fome. Somente isto! A alegria não nasce, não provém das coisas que se tem! (Papa Francisco, Discurso aos seminaristas, aos noviços e às noviças, em 6 de julho de 2013). Com relação ao “nosso” Maximiliano, podemos afirmar que a sua pobreza é igual à de São Francisco, quando pensa e vive este conselho evangélico na ótica da plena entrega à Providência de Deus.

O ser pobre é fundamental e nisso os dois santos acreditam, certos de que o Altíssimo abençoará os propósitos que Ele mesmo inspirou. Adaptando-se ao seu pai e fundador, Padre Kolbe quer que os frades morem em edifícios simples e pobres e utilizem tudo que ganham, não para fins pessoais, mas para aqueles que sofrem de vários tipos de pobreza, sobretudo a pobreza espiritual. A Imaculada, com sua presença primorosa e a sua intercessão, permite aos próprios filhos atingir metas apostólicas extraordinárias. Explicamos assim o nascimento e a difusão da Milícia da Imaculada, do Cavaleiro e da Cidade da Imaculada, expressões de apostolado de alto perfil evangélico e de notável expansão, que têm como base a confiança incondicional no Senhor e em Nossa Senhora. É, portanto, a pobreza pessoal, que se persegue de modo mais perfeito e autêntico possível. Os fundos que o Onipotente permite administrar são destinados à difusão da Palavra; o religioso é chamado a um despojamento que indique o seguimento de Cristo pleno e convicto. Maximiliano percebe que precisa ter a Imaculada como objetivo e a pobreza como fundamento: duas preciosidades que Niepokalanów não pode abandonar de jeito nenhum. “Sem tal objetivo, Niepokalanów cessaria de existir, trairia a sua missão. Enquanto que, sem a pobreza e sem confiança na divina Providência, não se pode falar de desenvolvimento, de conquista.” (SK 299).

As grandes obras de Deus nascem e se desenvolvem sob a insígnia do abandono pleno nas Suas mãos. Confiança e pobreza andam passo a passo e são a base da conformação a Cristo pobre e do sucesso apostólico, que assume o estilo da máxima propulsão missionária.

O estilo sóbrio do frade e do mílite tem como objetivo a busca do Reino. A confiança incondicional na ação amorosa e providente de Deus é a linha guia fundamental para caminhar rumo à vida eterna e para testemunhar ao mundo a beleza deste itinerário. É importante, então, limitar ao máximo as exigências pessoais, como moradia, roupas e comida, e concentrar-se sobre a própria missão de modo livre e constante. O que conta é aderir com empenho ao chamado para o apostolado em vista do Reino de Deus.

Se é pobre também quando, para a difusão do Evangelho e do amor à Imaculada, se usam os meios mais potentes, desde que não seja menor a sobriedade pessoal, fruto do dom incondicional da própria vida ao Senhor. É necessário usar os meios de apostolado mais modernos para o anúncio e conservar um estilo de vida humilde e essencial, que garanta fidelidade no seguimento e abandono à Providência e ao projeto de Deus, com a certeza de que não faltará a sua assistência. Padre Kolbe, permanecendo na linha da pobreza desejada por São Francisco e transmitida pela tradição franciscana, contribuiu para uma inovação no modo de praticá-la. A vida do religioso deve ser pobre e sóbria, sempre estendida à procura da presença e da vontade de Deus. Todavia, para pregar o Evangelho e o advento do Reino, precisa dar o máximo, utilizar, se a Providência permite, todos os recursos possíveis para que o anúncio seja eficaz e atual. O estilo do frade menor torna-se marcado pela essencialidade, a dimensão missionária é enriquecida de modo melhor, permitido pelas forças físicas e econômicas da comunidade religiosa. O papel de Maria é verdadeiramente importante para quem quer ser pobre, porque “a Ela pertencem todas as nossas coisas; por isso, uma pobreza perfeita e o uso das coisas somente enquanto são indispensáveis e suficientes para atingir o objetivo” (SK 486). A Imaculada é, portanto, um ponto de referência para quem é chamado a uma vida pobre no seguimento do Senhor. Quando o fiel se consagra a Ela, se deixa guiar também em relação ao uso dos bens.

Para Reflexão

- O desapego dos bens materiais e o anseio por aqueles eternos representam um desafio importante para cada fiel. Como está o meu caminho de sobriedade e de essencialidade?
- A fé me leva a acreditar que Deus realizará grandes coisas em mim, sem que isso esteja ligado às minhas posses. O abandono confiante no Senhor e na Imaculada permite a Kolbe realizar grandes obras, mesmo na absoluta pobreza. O seu exemplo fala ao meu coração?
- Viver sobriamente me permite ser sensível com os pobres: acolho o convite do Pontífice que me exorta a estar atento às necessidades dos irmãos?

Fonte: Milícia da Imaculada Internacional