quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Novena da Imaculada: “Eis-me aqui, eu sou a serva do Senhor” (Lc 1,38)

Preparando nosso coração para celebrar a solenidade da Imaculada, mãe de Deus e nossa mãe, queremos contemplar as grandes coisas que Deus realizou nela. (cf. Lc 1,49)

Desejamos pronunciar com Maria o nosso "Eis-me aqui!" ao Deus da vida e alegria, renovando nosso compromisso em ser servos incansáveis e testemunhas do Amor de Cristo ao longo das estradas do nosso viver. Olhando para a Virgem Imaculada, para o seu singular exemplo de docilidade à Palavra que nela tomou semblante humano, queremos redescobrir o dom da fé, recebido no batismo, abrindo nosso coração a Cristo, Mestre e Salvador, para viver nossa peregrinação terrena na "esperança" de ser já por Ele salvos e redimidos.

É indispensável, portanto, o exercício da caridade, que se manifesta na solicitude concreta para com os nossos irmãos. Em Maria, esta virtude resplandece de forma eminente, porque as suas atenções de mãe alcançam constantemente cada criatura.

Louvamos a Deus por ter nos dado a Virgem Maria, que resplandece, antes o povo de Deus peregrinante, qual sinal de segura esperança e de consolação até o dia em que o Senhor virá. (cf. LG 68)

Confiantes, entregamos a Ela, mãe do Deus-conosco, as esperas, os desejos, os propósitos, as famílias, as comunidades paroquiais, a santa Igreja, os destinos deste nosso mundo sem paz e tudo aquilo que mais amamos, com a certeza que a nossa oração, pelas suas mãos, chegará ao Deus rico em misericórdia, que não deixará de dar aos seus filhos graças e benções.

Com estes propósitos e com todos os outros que carregamos em nosso coração, sentimo-nos servos do amor como Maria e cantamos com Ela, com nossa vida, o Magnificat àquele que é, que era e que vem pelos séculos eternos! Amém.

Equipe de liturgia
Missionárias da Imaculada-Padre Kolbe

Foto: Lourdes Crespan/MIPK