quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Levar a vida de Deus aos homens

Aos 13 anos, logo depois da primeira comunhão algo muito forte remexia dentro do meu coração, não sabia o que era, mas comecei a ter uma participação mais ativa na comunidade onde cresci.

Fui convidada a participar de uma missão em meu próprio bairro, onde seriam realizadas visitas às famílias. Eu tinha muito medo por não saber o que falar ou fazer, mas disse que sim. Foi uma forte experiência que até hoje vibra em meu coração, pois daqueles momentos nasceu o desejo de fazer Cristo conhecido e amado, de levar a vida dele aos homens, principalmente aos mais necessitados de atenção, de um sorriso, um abraço e do verdadeiro amor. Era lindo ver a alegria que irradiava no rosto das pessoas que nos recebiam e também das missionárias e missionários que participavam daquela missão. Eu realmente achava lindo, mas nem passava pela minha cabeça em ser Missionária da Imaculada-Padre Kolbe.

Após a Crisma, comecei a participar de retiros e encontros vocacionais, onde conheci a vida e audácia do grande santo Maximiliano Kolbe e como o que ele sonhou continua vivo através das missionárias, missionários e da Milícia da Imaculada. Estes exemplos de vida e vocação mexiam e remexiam muito forte em meu coração, sentia que tudo o que fazia na igreja, a forma como vivia parecia insuficiente, ainda tinha um vazio.

Decidi fazer acompanhamento vocacional e, através dele, fui percebendo a beleza da vida consagrada a Deus na Igreja e no mundo. Sentia-me chamada a ser missionária não apenas no lugar em que vivia e sim me oferecendo completamente a Deus onde e como Ele desejasse, mas a esta ideia e aos sentimentos que se apertavam em meu coração eu somente dizia não, não e não.

Quanto mais resistia, mais Deus se tornava o sentido único da minha vida e mostrava-me sua predileção. Não teve jeito, Jesus me seduziu com o seu modo de viver e de falar, olhou-me nos olhos, tocou meu coração e com a voz suave disse: Vem e Segue-me.

Envolvida em tão grande amor respondi Sim ao meu Deus, minha vida. Não podia ser diferente.
Hoje com o coração feliz e agradecido pelo dom da vocação, posso cantar com a Imaculada o meu magnificat ao Senhor, porque Ele realmente tem feito em mim maravilhas. Entrego-me de todo o coração a esta missão, no firme desejo de ser Maria no mundo e assim levar os corações a Deus.

Daiane Rodrigues de Sousa
Missionária da Imaculada-Padre Kolbe

Mais informações: https://www.facebook.com/?ref=tn_tnmn#!/events/589960687719613/