terça-feira, 26 de novembro de 2013

A Medalha Milagrosa

A medalhinha da Imaculada Conceição, também conhecida como "medalha milagrosa", é conhecida no mundo inteiro.

Qual é a sua origem? "Era o dia 27 de novembro de 1830 - diz Santa Catarina Labourè...".
Essa narrativa foi redigida mais tarde por ordem do seu diretor espiritual. De fato, no começo, o prudente confessor Padre Alabel não acreditava na autenticidade da aparição. Ele mesmo escreve: "A pessoa que tivera essa visão..."
Em outor lugar, ele escreve como conseguiu realizar tal projeto de mandar cunhar a medalha: "Tive a oportunidade de me encontrar com o arcebispo de Paris, Dom Jacinto Ludovico Quelen... decidi preparar-me para o obra".
Vieram depois outras muitas conversões, tanto que logo se acrescentou o atributo de "milagrosa" à medalhinha. Já nos primeiros meses, milhões de exemplares da medalha foram fundidos pelo mundo, tanto que a produção não conseguia satisfazer os pedidos em tempo útil.
No ano de 1920 também aconteceu comigo em um caso singular:

No hospital de Zakopane, onde permaneci por um certo tempo como enfermo e capelão, uma senhora estava nas últimas. Já estava se preparando para a morte; entretantom falava com grande pesar do marido, cuja conversão ela já não esperava mais. Ele veio ao hospital. Procurei sugerir-lhe uma leitura adequada, conversar com ele sobretudo assuntos religiosos, mas obtive como única resposta: "Necessito de provas mais claras"; enquanto isso, não se preocupava  minimamente em ler livros mais sérios. Quando veio me cumprimentar, na hora da partida, fiz uma última tentativa. Apresentei-lhe a medalha milagrosa e ele aceitou. Depois, lhe sugeri que se confessasse: "Não estou preparado, não, de jeito nenhum", foi a resposta mas... depois dobrou os joelhos e se confessou entre lágrimas.

São Maximiliano Kolbe
Zalopane, Japão - maio de 1939


Foto: Lourdes Crespan/MIPK

Leia também: http://www.kolbemission.org/flex/cm/pages/ServeBLOB.php/L/PT/IDPagina/122