sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Advento: tempo de sonhar
 
“O melhor modo de vivenciar essa espiritualidade é olhar para uma grávida: todo o seu ser vai se transformando em vista da esperança que carrega. A própria família de uma grávida vive um clima novo por causa do ser que palpita e vai nascer. Isso é Advento.”
(Padre José Bortolini)


As palavras de Bortolini nos faz compreender que carregamos dentro de nós coisas boas que nos transformam. Em outras palavras, carregamos dentro de nós sonhos que anunciam para nós outro jeito de viver a nossa vida diária. Sonhos que nos trazem a esperança de uma nova relação com as pessoas, com as coisas, com Deus e com o mundo.  Neste caso, um filho transforma o jeito de viver da mãe por inteiro!
São Maximiliano ao conversar com alguns rapazes que vestem o seu hábito religioso, concretizando, gradualmente, o sonho que carregam - de entregar suas vidas a Deus -, diz que se alegra muito com eles e deseja que cada um sinta e experimente, neste momento de suas vidas, uma alegria sincera e verdadeira, pois se trata de uma alegria mais profunda. Para estes rapazes, a esperança é esta experiência de transformação que vivem pelo sonho que carregam e que irá realizar-se com mais intensidade no dia de sua consagração total a Deus.
Advento é tempo de esperança, é tempo de sonhar e acreditar no sonho. A mulher grávida carrega o sonho da maternidade que gradualmente vai transformando-a até o nascimento de seu filho. Os rapazes religiosos carregam o sonho de consagrarem-se a Deus que gradualmente vai transformando-os até o dia da profissão religiosa. E nós? Qual sonho carregamos e que nos transforma gradualmente até o dia de sua realização, isto é, de sua concretude? Que este sonho, que talvez seja de dias melhores, nos acompanhe até o natal, momento em que celebramos um grande dia de nossas vidas: o nascimento de Nosso Senhor Jesus Cristo.

Rosana de Jesus Coelho